Síndrome de Stevens-Johnson: o que é, sintomas, causas e tratamento da condição da esposa de Frank Aguiar

A esposa do cantor de forró desabafou sobre a luta que travou contra a doença.

PUBLICIDADE

Caroline Aguiar, de 31 anos, esposa do cantor de forró Frank Aguiar, passou por uma luta recentemente. A mulher fez um desabafo sobre seu estado de saúde ao lutar contra uma doença grave e rara. Ela precisou ser internada na UTI – Unidade de Terapia Intensiva para fazer o tratamento contra a síndrome de Stevens-Johnson.

PUBLICIDADE

A doença é considera rara e grave pela medicina. Caroline chegou a dizer em sua rede social nesta última segunda-feira, 3 de julho, que chegou a cogitar a possibilidade de não sobreviver. De acordo com a esposa do artista, ela não tinha condições de fazer sozinha as atividades cotidianas.

Síndrome de Stevens-Johnson: o que é e quais os sintomas

Trata-se de um distúrbio raro que acomete as mucosas e a pele. Na maioria dos casos, o distúrbio é provocado por reações alérgicas a algum tipo de medicação. A condição tem cura, porém é importante frisar que o tratamento deve ser iniciado o mais breve possível para evitar complicações.

Os principais sintomas são semelhantes ao de uma gripe. O paciente pode apresentar tosse, cansaço, febre, dor muscular ou garganta, inchaço no rosto, garganta, boca e língua. O indivíduo pode ter sensação de queimação na pele, aparecimento de bolhas, feridas e vermelhidão. Caso esses sinais apareçam logo após iniciar uma nova medicação, é recomendado buscar ajuda médica o mais rápido possível.

No geral, a condição afeta até 10% da superfície do corpo. Se atingir 30% ou mais a condição é chamada de necrólise epidérmica tóxica.

PUBLICIDADE

Diagnostico, possíveis causas e tratamento

A síndrome de Stevens-Johnson é diagnosticada através de uma avaliação clínica. O médico vai averiguar os sintomas e as características das lesões. Exames complementares podem ser solicitados pelo profissional, entre eles teste de função hepática, pulmonar, renal, cardíacos, exames de sangue e urina. Em alguns casos pode ser realizada uma biopsia das lesões da pele.

As possíveis causas estão associadas a reações alérgicas graves relacionadas ao uso de remédios. O tratamento é feito no hospital podendo ser necessário uso de soro na veia para reposição de líquidos. O paciente pode precisar usar sonda nasogástrica, oxigenoterapia ou até mesmo intubação dependendo da condição clínica.