Câncer no pulmão com metástases no cérebro: entenda qual era a doença que tirou a vida de Glória Maria

A jornalista morreu lutando contra um câncer no pulmão com metástases cerebral; tratamento parou de fazer efeito.

PUBLICIDADE

Nesta quinta-feira (02), foi confirmado o falecimento da jornalista Glória Maria após uma grande batalha contra um câncer no pulmão e metástases no cérebro. A famosa estava internada em um hospital no Rio de Janeiro desde o começo do ano para tratar a enfermidade. Contudo, o tratamento contra as metástases no cérebro parou de fazer efeito em seus últimos dias de vida.

PUBLICIDADE

Em 2019, a comunicadora foi diagnostica com câncer no pulmão e logo em seguida iniciou o tratamento. O tumor nessa região do corpo se manifesta de forma silenciosa, dificultando o diagnóstico imediato. Por conta disso, o câncer acaba progredindo rapidamente. No entanto, pode ser acompanhado de sintomas como muco com sangue, dificuldade na deglutição, ronquidão e infecção pulmonar com frequência.

Logo depois, foi descoberto que Glória Maria estava com metástases no cérebro, que é quando as células cancerígenas evoluem e vão para outros órgãos do corpo que ainda não tinham sido comprometidos pelo câncer. Quando isso acontece, o quadro da doença se agrava e fica mais complicado o tratamento.

Pesquisas mostram que grande parte das metástases cerebrais são decorrentes de tumores pulmonares, como o que aconteceu com Glória Maria. A doença avança rapidamente e a taxa de mortalidade é alta, já que o tratamento não consegue combater o câncer e as metástases.

Câncer no cérebro: Glória Maria passou por cirurgia para retirar tumor

Após passar mal, a jornalista foi submetida a uma série de exames, dentre eles, uma ressonância magnética. Na imagem, foi possível ver uma lesão cerebral expansiva. A apresentadora chegou a passar por um procedimento cirúrgico para retirar o tumor.

PUBLICIDADE

De acordo com o médico que estava cuidando do caso de Glória Maria, a doença era uma manifestação de neoplasia, que é quando as células começaram a se proliferar desordenadamente. Ainda segundo o profissional da saúde, a enfermidade é acompanhada por sintomas como dor de cabeça, déficit motor e cognitivo.