in

Possível Calendário F1 2023: 24 corridas, França ou Bélgica fora, e retorno da África do Sul?

Embora a temporada 2022 da Fórmula 1 esteja apenas na metade, nos bastidores a organização já está ocupada moldando o calendário de corridas

Facebook F1

Embora a temporada 2022 da Fórmula 1 esteja apenas na metade, nos bastidores a organização já está ocupada moldando o calendário de corridas para o próximo ano.

Publicidade

No ano passado, o calendário foi divulgado um pouco mais tarde devido aos problemas contínuos causados pelo coronavírus, mas agora parece que não vai ser preciso esperar até outubro para saber como será o calendário de 2023.

O calendário de 2023 da F1 pode ser muito diferente da temporada atual. Vinte corridas já têm contrato para o próximo ano, incluindo uma nova corrida e duas de retorno, enquanto cinco corridas atuais ainda não concordaram com um novo contrato.

Publicidade

O que já se sabe é que as equipes de Fórmula 1 terão que lidar com 23 a 24 GPs, dependendo da continuação da corrida na China. Os GPs da França e da Bélgica quase certamente serão retirados do calendário para dar lugar à corrida de Las Vegas, terceiro grande prêmio sediado nos Estados Unidos.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

A volta da F1 à África do Sul, após 30 anos, pode acontecer na temporada 2023. Caso a corrida retorne para Kyalami, a data do GP seria definida entre março e abril ou entre outubro e novembro — dependendo também do futuro das corridas na Bélgica e França. As duas etapas europeias têm contratos até o final deste ano.

Publicidade

Fórmula 1 trabalha um calendário ‘mais inteligente’

A Fórmula 1 está em ascensão há muitos anos e isso significa que cada vez mais corridas são adicionadas. O Miami Grand Prix, nos Estados Unidos, foi a mais recente adição e a partir do próximo ano chega a vez de Las Vegas.

Miami recebeu uma data em maio, mas isso significava que a F1 teria que se deslocar da Europa apenas para a corrida na cidade da Flórida no meio da temporada europeia. O deslocamento do Azerbaijão para Montreal, no Canadá, também é uma escolha pouco viável. Portanto, é provável que os GPs de Miami e do Canadá sejam mantidos lado a lado a partir do próximo ano, para reduzir as viagens.

Corridas incertas na Europa e na China

É relatado que o GP da Bélgica pode ser adicionado ao calendário por mais um ano, desde que o da África do Sul seja cancelado. No entanto, parece que o acordo com o circuito ao norte de Joanesburgo é apenas uma questão de tempo.

As corridas na França e em Mônaco também são incertas. Após a última corrida europeia, a F1 provavelmente partirá para a Ásia: Cingapura, Japão e, possivelmente, para a China. A China ainda não está clara, porque as regras relativas à Covid-19 continuam muito rígidas no país. A China tem um acordo até 2025, mas por causa da incerteza em torno do coronavírus, a corrida não está incluída no possível calendário.

Depois da Ásia, provavelmente a F1 voará para a América do Norte e do Sul, para os GPs de Las Vegas, Austin (Texas), México e Brasil. O Qatar retorna em 2023 e provavelmente será a penúltima corrida do ano. Depois disso a temporada vai, já por tradição, fechar a temporada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Atualmente, 24 é o número máximo de corridas de F1 permitidas devido a um acordo de concordância com as equipes. Esta temporada deveria ser a primeira com 23 corridas – até que o Grande Prêmio da Rússia foi cancelado e o contrato anulado – então imagina-se que 23 será o objetivo novamente, o que significa que duas corridas atuais podem sair, ou uma corrida já contratada pode cair.

Publicidade