in

Quem é Margarida que vive em uma mansão abandonada, teve o marido contratado pela NASA e é foragida do FBI?

A historia sobre a mulher tem despertado a curiosidade dos Brasileiros e chamado atenção dos turistas.

REPRODUÇÃO/ UOL

No último fim de semana houve muita discussão sobre um podcast com o nome, A Mulher da Casa Abandonada, publicado pelo jornalista Chico Felitti. O comunicador contou a história da moradora Margarida Bonetti, que vive há muitos anos em uma mansão abandonada, que está localizada em Higienópolis, na grande São Paulo.

Publicidade

Margarida, mora na casa, mas seria uma fugitiva do FBI. Ela foi acusada de colocar uma mulher em situação semelhante à escravidão, ainda na década de 1970, nos Estados Unidos.

Na época, o marido de Margarida havia sido contratado como engenheiro pela NASA. O casal levou sua empregada Hilda. No entanto, após 15 anos de trabalho, a mulher denunciou os patrões por exploração. O FBI investigou o caso e condenou a 6 anos o marido de Margarida, a mulher, por sua vez, fugiu para o Brasil antes de seu julgamento.

Publicidade

A história reveladora e curiosa sobre a casa abandonada, acabou se tornando um destino turístico em São Paulo. Diversas fotos e vídeos circulam nas redes sociais, mostrando Margarida com um produto branco no rosto, assustando quem passa pela rua.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Os moradores da região relataram que nos últimos dias houve um aumento acentuado no número de pessoas em frente ao prédio. A polícia teve que ser chamada por causa do barulho dos visitantes. Além disso, os jovens gravaram vídeos e danças em frente à mansão, como se realmente fosse uma atração turística.

Publicidade

Resgate de animais

No último domingo (3) pela manhã, Luisa Mell e sua ong resgataram alguns animais que estavam abandonados na mansão. O podcast menciona dois cães, Ebony e Ivory.

A defensora pela causa animal, registrou os resgates e mostrou as condições de vida dos animais. O instituto Luisa Mell e sua equipe, recebem o apoio do deputado Bruno Lima.

Publicidade