in

Médicos descobrem tratamento que elimina completamente câncer de mama em estágio inicial

Especialistas acreditam que o estudo se trata de uma base para testes em humanos.

R7

O câncer de mama é uma das doenças que mais matam mulheres no mundo. Somente em 2018, a enfermidade atingiu mais de dois milhões Apesar de não haver uma causa exata para o problema, acredita-se que fatores como idade, sobrepeso, exposição constante a raios-X e consumo excessivo de bebidas alcoólicas estejam relacionadas ao surgimento.

Publicidade

Recentemente, uma pesquisa divulgada pela revista Proceedings of the National Academy of Sciences trouxe uma excelente notícia envolvendo o aparecimento do câncer. De acordo com o estudo, um tratamento inovador pode acabar com tumores ainda no início.

Os responsáveis pelos estudos foram os pesquisadores do Johns Hopkins Kimmel Cancer Center. De acordo com os resultados obtidos, a toxina injetada conseguiu eliminar o câncer de mama em estágio zero, também chamado de carcinoma ductal in situ.

Publicidade

A aplicação da imunotoxina fez com que lesões pré-cancerosas visíveis e invisíveis de pacientes desaparecessem completamente. Outro detalhe importante e benéfico da substância é que ela, ao contrário de vários tratamentos contra o câncer, não provoca efeitos colaterais.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Saraswati Sukumar, um dos responsáveis pelo estudo inovador, falou acerca da descoberta: “Em nossa pesquisa, propusemos um tratamento alternativo em que a injeção da droga imunotoxina pelo duto poderia resultar na limpeza do CDIS”, declarou o profissional em comunicado.

Publicidade

O pesquisador ainda se disse bastante surpreso, pois declarou nunca ter visto um resultado como o desse tratamento. O trabalho incluiu a aplicação da substância em quatro linhagens de células de subtipos de câncer de mama em camundongos.

De acordo com os resultados do estudo, todas as células que apresentavam o câncer em estágio inicial morreram. Os especialistas realizaram o tratamento em dez camundongos a fim de captar possíveis toxinas circulares no sangue após depois de injetarem a imunotoxina, de cinco a 30 minutos depois, não encontraram nada.

Segundo o que informaram os responsáveis pelo novo tratamento, os dados coletados oferecem viabilidade para que a substância estudada seja testada em pacientes que estejam em fase inicial do câncer de mama.

Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral.