in

Após cesárea, mulher descobre câncer terminal com metástase: ‘se o amor pudesse me salvar’

A mulher estava apresentando sintomas de câncer, mas os médicos não perceberam.

(Imagem: Lois Walker / SWNS)

Uma mulher britânica chamada Lois Walker, de 38 anos, teve a pior notícia após a realização de uma cesárea de emergência. Ela havia dado à luz ao seu terceiro filho e acabou descobrindo tumores espalhados pelo seu abdômen.

Publicidade

Ela tinha câncer em estágio terminal

Após a realização de uma biópsia ficou comprovado que Louis tinha um câncer no ovário em estágio 4, que já é considerado terminal, além disso, o câncer já havia se tornado em metástase. Algum tempo antes, Lois havia tido câncer de pele. Quando começou a ter sintomas como dor de estômago e diarreia, ela procurou o médico, na época ela nem estava grávida.

Mas, segundo a paciente o médico descartou qualquer doença grave e disse que os sintomas eram resultado da síndrome do intestino irritável, ansiedade e até mesmo a idade da paciente. Ela chegou a questionar o médico sobre a possibilidade daquilo ser sintoma de câncer, mas ele negou e disse que não era nada.

Publicidade

Lois sentia muitas dores e quando chegou ao nono mês de gestação não conseguia mais andar, tamanha a dor que sentia. Ela só foi levada a sério quando disse que não queria mais viver, foi aí que em um exame de imagem o médico descobriu uma massa em seu útero e marcou a cesárea de emergência.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Alguns órgãos haviam se fundido

Publicidade

Além dos tumores encontrados no ovário da paciente, um inclusive que comprimia a cabeça do bebê, também foram encontrados tumores no intestino, estômago e fígado. Alguns órgãos acabaram se fundindo, como o diafragma e fígado, a bexiga e o útero.

“O médico pegou na minha mão e, chorando, pediu desculpas por ter me decepcionado”, disse Lois que está passando por quimioterapia, mas o câncer é considerado terminal. “Tem sido muito, muito difícil. Meus filhos são meu propósito, quero me concentrar em criar memórias. Se o amor pudesse me salvar, eu jamais morreria”, contou a britânica. Ela e o marido estão processando o sistema de saúde britânico por negligência.

Publicidade

Escrito por Tati Jesus

Estudante, escritora e apaixonada pela verdade, tenho como meta levar a notícia de forma clara e real. Amo ler e percebo a cada dia que um mundo melhor se faz quando o conhecimento que adquirimos é colocado em prática.