in

Por doença genética rara, mulher descobre quem é seu pai após 38 anos

O filho de Jacqueline foi diagnosticado com uma doença rara e ela finalmente descobriu a verdade.

Reprodução / Arquivo pessoal

Já imaginou passar a maior parte de sua vida sem saber quem é o próprio pai? Foi o que aconteceu com Jacqueline Ferreira da Silva. A dona de casa de 44 anos contou que só descobriu quem era seu pai verdadeiro quando tinha 38 anos e sua mãe só falou a verdade devido a uma doença genética rara, que o filho de Jacqueline foi diagnosticado.

Publicidade

Ela não sabia quem era seu pai

Segundo a mulher, ela passou sua vida inteira sentindo a falta de um pai. A mãe da dona de casa havia engravidado e não revelou para o genitor que estava gestando, assim, o homem saiu da cidade e foi morar em outro lugar, sem saber da existência da filha. A mãe de Jacqueline deu o nome de outro homem, indicando que ele era seu pai, mas esse homem também não tinha contato com ela.

Publicidade

Jacqueline contou que passou muitas dificuldades financeiras ao lado da mãe. Quando tinha 15 anos ela começou a trabalhar como empregada doméstica e babá. Na época, ela chegou a pedir ajuda para o homem apontado por sua mãe, como sendo seu genitor, mas ele negou a paternidade.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

A doença do menino trouxe a verdade à tona

Publicidade

Mas, há seis anos, o filho de Jacqueline adoeceu. Os médicos indicaram que ele tinha uma doença genética grave e que era necessário saber o histórico médico da família para precisar se de fato a doença dele era genética. Foi só aí que a mãe de Jacqueline revelou quem era o pai verdadeiro dela. Na verdade, ele havia voltado para a cidade há muitos anos e estava morando há duas ruas da casa da família de Jacqueline.

Ela procurou por ele, mas ele duvidou ser seu pai, pois desconhecia a gestação de sua mãe. Após o DNA ficou comprovada a paternidade. Agora Jacqueline também convive com a família de seu pai, e finalmente pôde receber o sobrenome Vieira em seus documentos e acabou descobrindo que a doença de seu filho não era genética.

Jacqueline disse que perdoou a mãe por guardar esse segredo por tanto tempo e hoje elas possuem uma boa convivência.

Publicidade

Escrito por Tati Jesus

Estudante, escritora e apaixonada pela verdade, tenho como meta levar a notícia de forma clara e real. Amo ler e percebo a cada dia que um mundo melhor se faz quando o conhecimento que adquirimos é colocado em prática.