in

Produtora de games brasileira lança RPG junto à Netflix

Relic Hunters: Rebels marca a entrada da gigante do streaming no mercado de games para dispositivos móveis.

Divulgação

Na primeira semana de maio, a produtora mineira de videogames, Rogue Snail, lançou um jogo através de uma parceria exclusiva com a Netflix. O título, Relic Hunters: Rebels, marca a entrada da gigante do streaming no mercado de games para dispositivos móveis.

Publicidade

Segundo o presidente executivo da Rogue Snail, Mark Venturelli, a Netflix procurou o estúdio pensando em investir em produções regionais, de forma semelhante ao que a provedora de streaming já faz com os seus filmes e séries originais. “Da mesma forma que produções muito locais que fazem sucesso no mundo inteiro, como ‘La Casa de Papel’ e ‘Squid Game’, a Netflix quer fazer isso com videogames e esse nosso projeto chamou a atenção deles”, disse ele à Reuters.

O game é um RPG do gênero “looter shooter”, onde os jogadores podem controlar quatro personagens para coletar armas com o objetivo de combater tartarugas e patos espaciais para derrotar o Império Duncan. “Relic Hunters: Rebels” é o segundo lançamento da franquia. O estúdio tinha uma ideia inicial de lançar “Relic Hunters: Legends” em 2023, que tem jogabilidade 3D, mas a Netflix Games também se interessou por lançar o “Rebels”. “Perguntamos se havia o interesse de lançar (Rebels) e eles aceitaram. E como já estava quase pronto, acabou saindo primeiro e foi nosso lançamento com a Netflix Games”, afirmou Venturelli.

Publicidade

Apesar de ter sido desenvolvido por brasileiros, o jogo não pode ser acessado por todos os usuários da Netflix no Brasil, já que o serviço de games da empresa ainda não existe por aqui. A Rogue Snail disse que “Rebels” foi lançado globalmente no dia 3 de maio, e usuários podem baixar em dispositivos Android, na Play Store. Por enquanto, brasileiros podem se divertir com outras opções, como as disponíveis no cassinos.info, que lista os melhores cassinos virtuais atuando por aqui. Nessas plataformas de jogatina, há games temáticos, como máquinas caça-níqueis, bingos e jogos de mesa – com o benefício de que você pode ganhar dinheiro enquanto se diverte.

Publicidade

Rogue Snail

Publicidade

O estúdio foi fundado em 2014, e já tem uma seleção de títulos para PC e consoles. O primeiro Relic Hunters, por exemplo, foi lançado na Steam de forma completamente gratuita e com código-fonte aberto para desenvolvedores. Com isso, ele atingiu mais de 1 milhão de jogadores ao redor do mundo.

De acordo com Venturelli, essa parceria feita junto com a Netflix é bastante benéfica, pois acordos entre estúdios independentes e grandes produtoras permitem que a criação de narrativa e arte seja mais fácil, já que os desenvolvedores não precisam recorrer à monetização interna dos jogos. Assim, Venturelli diz que é possível “fazer jogos, em nossa opinião, mais interessantes”.

Além das parcerias, a empresa mineira utiliza outras formas de financiamento para arcar com as suas produções, já que atua de maneira independente no mercado dos games. Em seu início, a principal forma de investimento da Rogue Snail era capital aplicado pelos próprios desenvolvedores. Em 2017, eles conseguiram investimentos por financiamento coletivo, através de um edital da empresa SPcine; em 2019, tiveram a ajuda de um investidor-anjo, e depois conseguiram fechar acordos com produtoras, como a Gearbox, e empresas como a Netflix.

Diversidade

Segundo o presidente, uma das apostas da Rogue Snail é ter diversidade no quadro de funcionários. Ele afirma que menos da metade do quadro é composto por homens, o que “não deveria ser um motivo de orgulho, mas infelizmente dentro da indústria de jogos é. Menos da metade da Rogue é composta por perfil do homem branco, heterossexual e cisgênero.”

Em “Rebels”, eles conseguiram explorar essa diversidade no desenvolvimento do personagem não-binário Baru, que “foi criado por uma pessoa não binária, desenhado por uma mulher trans e dublado por Jan Aponte, uma pessoa não binária”, disse Venturelli.

Publicidade