in

Mulher ‘ressuscita’ durante o próprio velório; ela foi levada às pressas ao hospital

A mulher havia sofrido um acidente de automóvel que tirou a vida de um familiares e deixou 3 em estado grave.

REPRODUÇÃO/YOUTUBE/BUENOS DÍAS PERÚ

A perda de um ente querido é sempre algo difícil de lidar. O sofrimento causado pela morte da pessoa amada é uma situação complicada e dolorosa. Afinal de contas, ter a consciência de que nunca mais vai ver aquela pessoa que se ama é muito triste. Imagina receber a notícia do falecimento e depois ver que a pessoa pode estar viva durante o funeral?

Publicidade

Susto, medo e desespero foram provavelmente os sentimentos que passaram as pessoas que estavam participando do funeral de Rosa Isabel Cespedes Callaca. A cerimônia fúnebre que aconteceu no Peru acabou virando o maior alvoroço. O motivo foi que as pessoas que estavam presentes no local escutaram batidas vindas diretas do caixão.

Por muito pouco, a peruana não foi enterrada viva. A situação dramática aconteceu no final do mês de abril, precisamente no dia 26, na cidade de Lambayeque. A mulher sofreu um acidente de automóvel. A fatalidade também tirou a vida do cunhado de Rosa Isabel e ainda deixou três sobrinhos em estado grave após a tragédia.

Publicidade

No entanto, a peruana ainda estaria viva e, durante o funeral, começou a se debater no momento que os familiares estavam carregando o caixão. Os parentes ouviram as batidas e logo levantaram a tampa da urna fúnebre. Foi quando notaram que Rosa Isabel ainda estava viva e consciente.

Publicidade

Desesperados com a situação, os familiares levaram a mulher às pressas ao hospital com ela ainda no caixão. Após chegar ao local, Rosa recebeu atendimento e ficou viva por algumas horas. Após o período, ela foi considerada sem vida definitivamente, para grande tristeza dos familiares. A situação inusitada provocou a revolta dos parentes da peruana.

Publicidade

Depois de passar pela despedida trágica duas vezes, os parentes exigiram que seja realizada uma investigação para averiguar o motivo dela ter sido considerada morta pela primeira vez.

Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.