in

Beijar é bom, mas pode transmitir várias doenças: médica alerta para infecções; quais são e como prevenir

Na maioria dos casos as infecções se curam sozinhas, mas é preciso atenção para evitar possíveis complicações.

Reprodução R7

O beijo é o símbolo de uma troca de carinho entre as pessoas que se gostam. Beijar é muito bom e tem vários benefícios para a saúde. Para quem não sabe, o beijo na boca ajuda a queimar algumas calorias, reduz dores de cabeça e nas costas, promove sensação de bem-estar, auxilia na higiene bucal. Como aumenta a produção de saliva, pode até ajudar a neutralizar bactérias consideradas nocivas que estão presentes dentro da boca.

Publicidade

Contudo, existem algumas doenças que podem ser transmitidas através do beijo. A especialista no assunto, a infectologista Ana Rachel de Seni Rodrigues, explicou que tanto a mucosa oral quanto a saliva podem concentrar vírus em indivíduos com algumas doenças ou portadores assintomáticos. Isso pode facilitar que aconteça a transmissão dessas infecções.

Algumas pessoas não sabem, mas o beijo na boca pode transmitir ao menos oito tipos de infecções. As doenças mais comuns são o herpes, a mononucleose, enfermidades que acometem o sistema respiratório que são transmissíveis por vírus, como é o caso da gripe e do coronavírus. Também é possível o contágio pelo citomegalovírus, caxumba e infecções que são transmitidas sexualmente (sífilis e candidíase).

Publicidade

A médica explica que essas enfermidades não costumam ser graves, porém ressalta a importância de ter atenção. Na maioria dos quadros essas infecções tem uma duração pequena e se curam sozinhas. Contudo, podem acontecer complicações em algumas situações. Algumas infecções respiratórias podem acabar evoluindo para uma pneumonia grave. Já no caso do citomegalovirose e a mononucleose há possibilidade de comprometimento do baço, fígado e anemia grave, alerta a especialista.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Todas as enfermidades citadas podem não apresentar sintomas, mas caso a pessoa esteja contaminada, continua transmitindo o vírus. Felizmente, é possível prevenir essas doenças. Basta consultar o dentista com regularidade e não beijar na boca se estiver com qualquer tipo de lesão na região.

Publicidade
Publicidade