in

Medicamento usado por milhões de brasileiros pode causar mutação; fabricante se pronuncia

O remédio é utilizado para o tratamento de pressão alta e outras doenças.

De Olho No Futuro / Revista ABM

Um dos medicamentos mais utilizados pelos brasileiros foi retirado de circulação por problemas em sua fabricação. Foram encontradas impurezas em comprimidos que podem ocasionar mutações e até aumentar o risco do aparecimento do câncer.

Publicidade

A farmacêutica Sanofi Medley fez o anúncio que recolheu voluntariamente e preventivamente três formulações dos medicamentos que tem como princípio ativo o losartana. A interrupção do uso desse medicamento, usado em pacientes com pressão alta e insuficiência cardíaca, pode ocasionar riscos à saúde, conforme alerta da própria fabricante.

Fabricante se pronuncia e orienta pacientes

A fabricante orienta que os pacientes não interrompam em hipótese alguma o uso do medicamento de forma abrupta. É necessário procurar a orientação do seu médico, que pode indicar outro lote ou fabricante da mesma composição.

Publicidade

Publicidade

Medicamento retirado das farmácias

O portal de notícias do G1 ouviu especialistas no assunto com o intuito de esclarecer os riscos que os pacientes que tomam essa medicação precisam saber no momento. Foram retiradas de circulação os lotes com as seguintes formulações: losartana potássica + hidroclorotiazida 50 mg + 12,5 mg; losartana potássica + hidroclorotiazida 100 mg + 25 mg e losartana potássica 50 mg e 100 mg.

Publicidade

Impurezas encontradas no losartana

De acordo com informação da Anvisa, as impurezas são as nitrosaminas, detectadas pela primeira vez há cerca de 4 anos e que gerou alerta em fabricantes de todo o planeta. Ainda segundo o órgão, essa impureza que pode ser encontrada até em alguns tipos de alimentos, pode ser consumida em níveis normais, porém, é no excesso que está o problema.

Ingerir a impureza em nível acima do normal e por um período longo, pode aumentar o risco do aparecimento do câncer, além de poder causar mutações do DNA de uma célula, transformando-a em cancerígena, apesar de ainda não ser confirmado por estudos em clínicas.

Publicidade

Escrito por Nado C.

Sou formado em Sistemas de Informação com pós-graduação em Gerenciamento de Projetos em T.I. Além de atuar como programador há 10 anos, trabalho também como redator há cerca de 4 anos, o que fez despertar uma nova paixão e hoje também sou graduado em Letras - Português e Inglês. Escrevo sobre tudo o que envolve o mundo do entretenimento, além de falar sobre esportes e as principais notícias do dia a dia. Pode entrar em contato comigo através do e-mail nado_news@hotmail.com .