in

Conheça o Xaxado, dança que representa nosso querido Nordeste

Saiba tudo sobre a dança popular brasileira que se popularizou no sertão pernambucano nos tempos do cangaço.

Imagem: Pixabay

O pé direito vai para a frente e faz movimentos laterais, puxando o pé esquerdo para uma espécie de deslizamento que lembra o sapateado. O ritmo da música se parece com o baião e as pessoas dançam solo, posicionadas em fila indiana. Esse é o Xaxado, uma das danças populares mais típicas do Nordeste brasileiro.

Publicidade

Há várias histórias sobre a origem da dança, popular em estados como Pernambuco e Paraíba, mas o município pernambucano de Serra Talhada, a 415 quilômetros da capital Recife, reivindica o título de “capital do Xaxado”. De ônibus, é possível chegar até lá pela Viação Progresso e fazer um verdadeiro mergulho nessa cultura.

A teoria mais difundida em todo o Nordeste é a de que o Xaxado tenha surgido no Sertão de Pernambuco mais ou menos na década de 1920, quando foi difundido pelo bando de Lampião como uma dança de guerra e se popularizou também entre outros grupos de cangaceiros que rodavam pela região.

Publicidade

Há teorias que dizem que o Xaxado tem origem indígena e alguns pesquisadores acreditam ainda que a dança veio de Portugal. Independente disso, essa é uma dança popular brasileira e vale muito assistir a uma apresentação se for visitar alguma das cidades nordestinas que preservam essa tradição.

Publicidade

O que o Xaxado herdou do cangaço?

Era com o Xaxado que os cangaceiros comemoravam as vitórias, mas logo a dança passou também a ser vista em todo tipo de festa nos bandos. O chefe dos grupos ia à frente, seguido pelos demais integrantes.

Publicidade

Naquela época, as letras eram repetidas em coro e contavam aventuras e desventuras, insultando inimigos e homenageando líderes e membros dos bandos mortos em guerras.

Originalmente, a dança era ritmada com batidas dos rifles no chão e o barulho que os pés faziam, mas logo alguns bandos começaram a utilizar instrumentos para embalar a cantoria, qualquer um que o grupo dispusesse. Os mais comuns até hoje são sanfona, zabumba, pífano e triângulo.

Os passos do Xaxado são graciosos, porém sempre firmes, fazendo alusão aos movimentos de guerra, o que ainda é mantido, mesmo nas adaptações modernas da dança.

Hoje, além das apresentações para turistas, algumas organizações oferecem aulas para crianças e adolescentes do sertão pernambucano e paraibano, o que é uma forma de enaltecer a cultura e também de não deixar essa tradição morrer.

O que Luiz Gonzaga tem a ver com isso?

Quem popularizou o Xaxado pelo Brasil afora, anos depois, foi Luiz Gonzaga, que misturou a dança típica com o baião e deixou as letras um pouco mais românticas. Mesmo assim, não deixou de lado os temas originais do movimento, fazendo alusões a brigas e até mesmo diretamente ao cangaço.

Só homem pode dançar?

Como naquela época apenas as mulheres não eram aceites nos bandos, apenas os homens dançavam e as armas, muitas vezes, faziam o papel de “parceiras”. Por isso, até hoje, é comum que os dançarinos típicos usem vestes que lembram o cangaço e carreguem objetos que lembram armas.

Com o passar dos anos, algumas mulheres — a exemplo da famosa Maria Bonita, companheira de Lampião — integraram os grupos e a fazer parte da dança. Assim, em alguns grupos, a dança começou a ser reorganizada em pares, mas até hoje existem grupos exclusivamente masculinos.

De onde vem esse nome?

Alguns dizem que o nome da dança é uma onomatopeia do barulho xa-xa-xa que os pés faziam ao se arrastarem no chão. Outros que a palavra Xaxado é uma variação da palavra xaxar (sachar), o ato de capinar à terra, movimento que, inclusive, acaba lembrando os passos da dança.

Publicidade