in

‘Vivinha da silva’ e querendo namorado, idosa acorda no necrotério horas antes do velório

Idosa foi transferida para hospital de Porto Alegre após confusão em UPA de Cidreira.

Reprodução Record TV

Dona Clotilde Rieck, de 78 anos, foi dada como morta, e o corpo foi encaminhado ao necrotério, onde seria preparado para o velório e sepultamento. O caso aconteceu no dia 31 de dezembro, em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cidreira, no Rio Grande do Sul.

Publicidade

Na UPA, a idosa foi diagnosticada com infecção urinária. Dona Clotilde sofreu uma parada cardíaca, foi reanimada, mas a família foi chamada ao Hospital para se despedir, pois ela não resistiria. Após ser dada como morta, ela foi encaminhada ao necrotério.

No local, a idosa deu sinal de vida. O agente funerário que se deparou com Clotilde com as mãos para cima saiu correndo para pedir ajuda. Os médicos não acreditaram no relato do funcionário do necrotério, até que uma médica decidiu averiguar e encontrou a paciente viva.

Publicidade

A família da idosa cobra explicações do hospital e abriu solicitação para ter acesso ao prontuário da paciente. Bianca Schneider, sobrinha-neta da idosa, deu entrevista à RecordTV e lamentou o ocorrido. A família já havia comprado um caixão. Após toda confusão, Clotilde foi transferida para a Santa Casa de Misericórdia Hospital Santa Clara, em Porto Alegre.

Publicidade

Publicidade

Idosa dada como morta quer namorado

Apesar de toda a situação, a idosa mantém o bom humor. Muito viva, ela já falou à família qual seu objetivo quando sair do hospital: arrumar um namorado. Aos 78 anos, ela não quer nem pensar em morrer e partirá em busca de um amor quando sair do hospital. A idosa segue sem previsão de alta. Dona Clotilde quer também reencontrar sua gatinha de estimação.

Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!