in

Médicos confundem câncer raro de menina de 2 anos com prisão de ventre; mãe desabafa: ‘Estou zangada’

A mãe chegou a levar a filha ao médico, mas inicialmente acreditaram se tratar de prisão de ventre.

Reprodução/Daily Mail

Uma mãe desolada pelo problema da filha de apenas dois anos fez um desabafo comovente. A mulher contou que a menina perdeu seis meses de tratamento contra um câncer. Isso aconteceu inicialmente devido a uma confusão no diagnóstico da pequena paciente. Os médicos afirmaram que a garotinha estava sofrendo de prisão de ventre, porém, era um câncer no fígado.

Publicidade

A mãe da menina, Louise Millward, de 34 anos, moradora de Worcestershire, no Reino Unido, percebeu em maio de 2020 que a filha Grace estava sem apetite e aparentava estar mais cansada do que o habitual. A mulher resolveu levar a criança ao médico, que encaminhou a pequena ao hospital.

Na unidade, a pequena passou por especialistas que suspeitaram ser um caso de prisão de ventre ou apendicite. Grace recebeu o tratamento e ganhou alta hospitalar. No entanto, o estado clínico da menina continuou piorando e a mãe notou que ela estava ficando sem equilíbrio. Além disso, Louise notou que o estômago da filha estava inchado e voltou a buscar ajuda médica.

Publicidade

Após ser submetida a outros exames, a pequena foi diagnosticada com hepatoblastoma, um tipo de câncer raro que acomete apenas uma em um milhão de crianças. A mãe ficou revoltada e criticou o atendimento feito pelo hospital e disse que o tumor acabou não sendo tratado por seis meses. “Os médicos nos garantiram que era prisão de ventre e nós apenas pensamos que estava tudo resolvido. Porque o que ela tem em crianças é tão raro, até certo ponto, estou zangada por não ter percebido”, desabafou.

Publicidade

A mãe fez questão de ressaltar que, se o problema tivesse sido diagnosticado antes, a filha teria iniciado o tratamento precocemente, já que quando foram mandados para casa a filha passou por vários incidentes, como enjoos, vômitos e desinteresse. Ela contou que o diagnóstico correto sobre o câncer foi no mês de novembro. A família ficou arrasada com a situação, mas não surpresa. Grace está passando por um tratamento com quimioterapia e radioterapia agressivas, visando reduzir o câncer.

Publicidade
Publicidade