in

Cantor tem óbito decretado por engano e é obrigado reconhecer o ‘próprio corpo’: ‘Tive que ver’

Cantor estava passeando com a esposa quando a companheira recebeu a notícia enganosa.

G1

Um caso insólito foi registrado no litoral de São Paulo. Um homem de 40 anos que trabalha como cantor foi dado como morto, sem sequer ter dado entrada no hospital de São Vicente. Em um primeiro momento, a esposa de Paulinho Oliveira compareceu à unidade hospitalar para reconhecer o corpo do marido, que teria sido vítima de uma tuberculose. No entanto, tudo não passou de um engano.

Publicidade

O fato atípico foi compartilhado pelo próprio cantor nas redes sociais. Em vídeos publicados, ele tranquilizou amigos e fãs, dizendo que está bem e destacou as dificuldades burocráticas que enfrentou para resolver o problema.

“Sempre fui um cara mais alegre, então, fiz stories em um tom mais engraçado. Mas, a história não tem graça nenhuma, foi algo bastante grave, porque poderia ter causado danos irreparáveis na minha família”, disse o cantor. 

Publicidade

Em entrevista ao portal “G1”, o artista disse que estava passeando, quando ela recebeu uma ligação do hospital, pedindo para que ela fosse à unidade com urgência. 

Publicidade

No local, ela foi informada por uma assistente social de que o marido dela tinha morrido em função de uma tuberculose. Ela havia acabado de deixar o companheiro no estacionamento do hospital.

Publicidade

Diante do equívoco, a mulher negou a informação e apontou o erro no sistema. Para provar o engano do hospital, Paulinho teve que se encontrar com a equipe da unidade para contestar a própria morte. Uma declaração de óbito com todos os dados do cantor já havia sido feita, e posteriormente teve que ser cancelada. 

Reconhecimento do “próprio corpo”

Para desfazer a confusão de uma vez por todas, Paulinho ainda teve que reconhecer o corpo que foi confundido. Ao “G1”, ele disse que não entrou no necrotério, mas que a médica tirou uma foto do paciente morto e lhe mostrou. “Tive que ver e dizer que não era eu mesmo, ou algum parente“, contou Paulinho. 

De acordo com informações repassadas pela Prefeitura de São Vicente, o paciente que morreu foi resgatado em condição de rua pelo Samu, se queixando de falta de ar. Ele não portava nenhum documento e se identificou como Paulo Eduardo dos Santos, nome diferente de Paulinho, que se chama Paulo Eduardo de Oliveira. 

Publicidade