in

Criança de 3 anos reclama de tosse persistente e médico encontra sanguessuga na garganta; estava lá há meses

O médico que prestou atendimento ao pequeno paciente relatou o caso nas redes sociais.

Reprodução Suacidadeemrevista

Um médico deixou os internautas surpresos ao compartilhar um caso pra lá de inusitado. O profissional do Quênia encontrou uma sanguessuga na garganta de uma criança de apenas três anos de idade. O paciente se queixava de tosse persistente há um tempo. Jason Brotherton é dos Estados Unidos, mas está morando no país africano há seis anos.

Publicidade

O caso foi compartilhado pelo médico através da rede social no dia 22 de novembro e o relato acabou viralizando na internet. O americano chegou a dizer que imaginava que já tivesse se deparado com grande parte dos problemas causadores de anemia nos pequenos, mas ao lidar com o pequeno paciente viu que estava equivocado.

“Antes do dia de hoje, me sentia bastante confiante em afirmar que já havia encontrado a maioria das causas de anemia em crianças até que isso foi retirado do esôfago superior de uma criança de 3 anos”, relatou o profissional através do Twitter. Inclusive, o americano confimou: “Essa sanguessuga já estava se alimentando há um tempo”.

Publicidade

Na imagem que foi compartilhada na rede social, é possível ver nitidamente o parasita que está ao lado de uma régua que mostra o comprimento do bichinho. A sanguessuga tinha seis centímetros de comprimento. Através de um segundo tweet, o médico falou mais sobre o caso. Segundo Brotherton, provavelmente o parasita tenha sido ingerido há vários meses.

Publicidade

O primeiro sintoma apresentado pela criança foi sangramento no nariz e depois acabou evoluindo para três meses de tosse. A mãe notou que tinha algo preso na garganta do filho e buscou ajuda no hospital. O parasita foi removido por meio de uma endoscopia, pois o bichinho estava preso na parede do esôfago.

Publicidade

Ainda de acordo com o profissional, ele acredita que a criança tenha engolido o parasita de forma acidental ao beber água contaminada. A sanguessuga certamente era bem menor quando foi ingerida e com o tempo foi crescendo. Após a retirada do parasita foi constatado através de exames que a criança estava com anemia. O médico explicou que o ácido presente no estômago teria matado o parasita, mas acabou sobrevivendo por ter ficado nas vias superiores. O americano fez questão de ressaltar que nunca havia visto algo assim antes.

Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.