in

Ele pediu ajuda para a professora em uma prova, pois não aguenta mais: ‘Chama pra mim a polícia’

A criança fez a denúncia através da prova que estava realizando na escola.

Reprodução: Portal Diário da Amazônia

Uma criança de apenas oito anos usou a prova que estava fazendo na escola para poder pedir socorro para a mãe que estava sofrendo violência doméstica. De acordo com o menino, o pai agredia a mãe em casa e ele precisava da ajuda da polícia. O fato aconteceu no Vale do Anari, que fica localizado no estado de Rondônia.

Publicidade

“Por favor me ajuda. Meu pai bate na minha mãe. Chama pra mim a polícia”, escreveu o garoto no final da folha. Em seguida, ele também colocou o endereço da residência da família. Os agentes foram até o local e descobriram que o pai também agredia o menino e outros três filhos de 13, 14 e 16 anos.

Além da família sofrer agressão física, eles tinham que lidar com a pressão psicológica. Por esse motivo, nenhum deles tinha feita a denúncia contra o homem. Eles foram resgatados e o governo do estado encaminhou as crianças para um abrigo deixando a mãe sob proteção. Agora, eles vão aguardar o julgamento que vai ser feito pela justiça em relação ao agressor.

Publicidade

Campanha sinal vermelho

A campanha foi criada pelo CNJ – Conselho Nacional de Justiça com a AMB – Associação dos Magistrados Brasileiros, e tem o objetivo de auxiliar as mulheres que sofrem com violência doméstica. O intuito é que as vítimas consigam fazer a denúncia contra o agressor de uma maneira simples, mesmo quando estiverem acuadas.

Publicidade

A campanha desenvolveu o sinal que é uma maneira discreta da vítima mostrar que está em perigo sem alarmar o agressor. Para isso, basta fazer o desenho de um X na mão e mostrar a alguém. Infelizmente, muitas mulheres acabam não conseguindo denunciar porque estão em constante vigilância, mas com o sinal desenhado na mão o pedido de socorro é feito de uma forma silenciosa.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.