in

Síndrome mão-pé-boca: o que é, sintomas, contágio, tratamento e dicas para evitar a doença

A doença é extremamente contagiosa e costuma acometer crianças abaixo de cinco anos de idade.

Reprodução Eparaguacu

A síndrome conhecida como mão-pé-boca é uma doença que atinge especialmente o público infantil, sendo considerada altamente contagiosa. A maior incidência da enfermidade em crianças com idade abaixo de cinco anos. Entretanto, pessoas acima dessa idade devem ficar atentos, pois não são só os pequenos que podem se contaminar, já que houve relatos de casos em adultos.

Publicidade

Os sintomas costumam surgir a partir de 3 a 7 dias do contato com o vírus coxsackie. Os primeiros sinais da enfermidade são: febre maior que 38 °C, dores de garganta, falta de apetite, diarreia e mal-estar. Após dois dias do início dos primeiros sintomas, aparecem aftas dolorosas na boca e bolhas nas mãos, pés e também na região íntima. Essas bolhas podem coçar bastante.

O tratamento desta síndrome mão-pé-boca deve ser orientado por um pediatra ou clínico geral. Geralmente, os especialistas indicam remédios para a febre, anti-inflamatórios, medicação para a coceira e pomadas para as aftas, que auxiliam no alívio do incômodo causado pela enfermidade.

Publicidade

Transmissão do vírus mão-pé-boca 

A transmissão pode acontecer através de gotículas de saliva por meio de tosse ou espirro da pessoa infectada. Também pode ocorrer por meio do contato direto com o paciente infectado através de contato com as bolhas ou mesmo pelas fezes, sendo os primeiros sete dias da infecção o maior risco de contágio.

Publicidade

Portanto, para evitar a proliferação da doença é importante evitar contato com pessoas que estejam doentes, não compartilhar objetos ou talheres que tenham tido contato com quem estiver infectado. Lavar as mãos sempre que tossir e espirrar e também fazer a higienização dos alimentos, são algumas dicas importantes que podem auxiliar a evitar a disseminação do vírus.

Publicidade

Aliás, essas dicas são extremamente importantes para evitar qualquer tipo de proliferação por vírus, como é o caso da Covid-19, doença que tem assolado a humanidade desde o final de 2019.

Publicidade