in

AVC – Acidente Vascular Cerebral: doença tem risco maior de ocorrer antes dos 50 em pessoas com este hábito

O AVC – Acidente Vascular Cerebral pode levar a sérias sequelas ou mesmo o óbito do paciente.

FOTO: GETTY IMAGES

O AVC – Acidente Vascular Cerebral, que também é conhecido popularmente como derrame, ocorre quando os vasos que levam sangue ao cérebro entopem ou se rompem. Este processo acaba provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea. Os danos causados pelo derrame podem ser catastróficos. O indivíduo pode ficar com várias funções comprometidas ou até mesmo evoluir a óbito. I

Publicidade

Alguns hábitos podem tornar a pessoa mais propensa a sofrer um AVC – Acidente Vascular cerebral. Um estudo que envolveu cerca de oitenta mil pessoas usuárias de cigarros eletrônicos, conhecidos também como e-cigarretes, apontou que indivíduos com esse hábito tem risco elevado de sofrer derrame antes dos 50 anos.

De acordo com a pesquisa, essas pessoas tiveram derrame cerebral, em uma idade média de quarenta e oito anos, onde a média comparativa de onze anos de diferença com usuários de cigarros normais. Portanto, os estudiosos chegaram a conclusão de que o problema pode ser mais frequente em quem faz uso de cigarros eletrônicos do que os que usam o tradicional.

Publicidade

A probabilidade que a doença aconteça em usuários de cigarros eletrônicos, é de 15% maior, conforme os dados comparativos explicados pelo artigo da revista Galileu. Por esse motivo, os cigarros eletrônicos não devem ser considerados uma alternativa para os fumantes de cigarro tradicional. Muitos fumantes acabam vendo os cigarros eletrônicos como alternativa menos impactante para a saúde, porém ao que tudo indica não é.

Publicidade

No processo derivado da inalação pela queima de tabaco, as diversas substâncias tóxicas presentes no cigarro são inaladas, promovendo sérias consequências à saúde. Já os cigarretes possuem dentro de si um líquido, inalado pelo indivíduo através de uma bateria de lítio, conforme alerta a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Publicidade

Por isso, os usuários precisam reconhecer os malefícios de ambos os cigarros, tendo conhecimento das consequências dos dois produtos.

Publicidade