in

Andrei Lara comemora momento histórico da cultura de Angra dos Reis

A partir do dia 1° de janeiro de 2022, a Secretaria de Cultura terá a sua autonomia, com toda a estrutura pertinente à pasta.

O secretário de Cultura, Andrei Lara; o prefeito de Angra, Fernando Jordão e o secretário de Governo, Claudio Ferreti

Pasta terá um orçamento de quase R$ 4 milhões e gestão autônoma.

Publicidade

Na última sexta-feira, dia 5, foi celebrado nacionalmente o Dia da Cultura. E, para marcar a importante data, o prefeito Fernando Jordão fez, ao lado do secretário de Governo e Relações Institucionais, Cláudio de Lima Sírio, e do secretário-executivo de Cultura e Patrimônio, Andrei Lara, anúncios para o setor, que irá promover, de fato, a democratização cultural na cidade. Um deles é a transformação da Secretaria Executiva de Cultura e Patrimônio em Secretaria autônoma.

A partir do dia 1° de janeiro de 2022, a Secretaria de Cultura terá a sua autonomia, com toda a estrutura pertinente à pasta. Queremos, assim, oferecer meios que auxiliem o artista de nossa cidade, fomentando a cultura de ponta a ponta, inserindo ainda mais em nosso cotidiano – explicou o prefeito Fernando Jordão.

Publicidade

Em breve, a sede da Secretaria, que atualmente se encontra na Casa Larangeiras, irá para outro endereço, na Rua Dr. Bastos, ao lado do Museu de Arte Sacra.

Publicidade

Acabamos de comprar o prédio e, muito em breve, a gestão operacional da Secretaria de Cultura estará em novo local. Liberando a Casa Larangeiras para que esta abrigue outras atividades culturais – ressaltou Fernando Jordão.

Publicidade

Como enfatizado pelo prefeito, o secretário-executivo de Cultura explicou o que será feito no espaço hoje ocupado pela pasta.

A Casa Larangeiras será a sede da Escola Municipal de Música, seguindo um projeto do Secretário de Governo, Ferreti. Ainda neste ano, teremos a volta do Coral da Cidade, que reunirá os melhores cantores e cantoras da cidade, que serão selecionados por professores da tradicional Escola de Música Villa-Lobos. 

Com isso, vamos seguindo o que é determinado pelo prefeito Fernando Jordão, que é de pluralizar e implantar políticas públicas que transformem a vida do cidadão – emenda Andrei.

Para o próximo ano, o orçamento da Cultura será o maior de toda a história da cidade. Serão quase R$ 4 milhões, que permitiram que o município, por exemplo, lance pelo menos três editais, via Fundo Municipal de Cultura, voltados aos fazedores de cultura.

A realidade de 2022 será totalmente diferente: teremos o ano mais promissor da cultura na história do município, com um orçamento próprio e, além disso, acabamos de fazer o lançamento do Edital Municipal Cultura, onde vamos contemplar 58 projetos de forma desburocratizar com R$ 2.5 mil

A Casa de Cultura Poeta Brasil dos Reis está em reforma neste momento, uma obra grande, que inclui acessibilidade, num investimento de R$ 400 mil. O Governo do Estado arcará com a reforma do Teatro Municipal, com previsão de custo de R$ 2 milhões e, paralelo a isso, iniciamos também na última sexta-feira o censo dos artesãos, começando pelo Parque Mambucaba – finaliza Andrei.

Falando em editais, Angra foi contemplada pela Lei Aldir Blanc com quase R$ 1,4 milhão, que chegou a 94 projetos de Fazedores de cultura da cidade e que estão executando os seus projetos.

Todas as políticas públicas que o governo tem desenvolvido são importantes e a cultura não deixaria de ser. E estamos trabalhando para que ela tenha autonomia gerencial, como forma de democratizar o acesso a quem fomente a cultura – enfatizou Cláudio de Lima Sírio, secretário de Governo e Relações Institucionais.

PW-Assessoria de Imprensa e Comunicação

Publicidade