in

Ftalato: substância encontrada em embalagens de diversos produtos pode levar à morte

Pesquisa realizada nos Estados Unidos mostra que produto colabora para morte prematura de pessoas.

Reprodução Site Nosso Foco

Você já ouviu falar do ftalato? Está uma substância química retirada do ácido ftálico está presente em embalagens e recipientes de diversos produtos. Alimentos, maquiagem, brinquedos, perfumes e até mesmo xampus usam o ftalato em suas embalagens. O problema de tudo isso foi mostrado em um estudo.

Publicidade

A revista Environmental Pollution, dos Estados Unidos, realizou pesquisa que indicou que o ftalato pode colaborar para cerca de 91 mil a 107 mil mortes por ano. As vítimas da morte prematura seriam pessoas com idades entre 55 e 64 anos, mas os problemas alcançam outras idades também.

O levantamento realizado nos Estados Unidos liga o alerta para o uso dessa substância em embalagens e recipientes. De acordo com a pesquisa, o ftalato interfere na produção de hormônios e pode causar problemas que afetam o cérebro e outras partes do corpo.

Publicidade

De obesidade infantil e problemas com espermatozoides: ftalato é perigoso

Publicidade

Os problemas vão além quando se consideram pesquisas anteriores. Estes levantamentos mostraram, por exemplo, que a substância química pode causar malformação genitais em meninos. Problemas no testículo e níveis baixos de espermatozoides e de testosterona podem afetar homens adultos.

Publicidade

Obesidade infantil, câncer, problemas no coração e asma também foram apontados como problemas decorrentes do ftalato em pesquisas anteriores. Esta nova pesquisa, somada aos levantamentos anteriores, pode servir de norte à indústria de embalagens e de recipientes para a mudança no produto químico utilizado.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!