in

Mulher engravida do marido 1 ano após homem falecer por triste doença: ‘Prova do amor que a gente tinha’

Na 13° semana, Lizi descobriu que esperava por Ravi. No oitavo mês, mulher sofreu um acidente de carro.

Reprodução: revista crescer / fotomontagem por manuella

No dia 20 de agosto deste ano, o pequeno Ravi chegou ao mundo após a morte de seu pai, Marcelo, de 47 anos. Vítima de complicações oriundas de uma infecção causada pela Covid-19, o homem, que lutava contra um câncer na medula, faleceu no dia 29 de agosto de 2020, enquanto estava intubado.

Publicidade

Eliziane Ourives Santos Lautenschlager, de 30 anos, natural de Pelotas, no Rio Grande do Sul, é a mãe de Ravi, viúva de Marcelo. De acordo com a mulher, o sonho do casal sempre foi de ter um filho. Assim, quatro meses após a partida do marido, Eliziane resolveu engravidar através de uma fertilização in vitro.

Antes de falecer, Marcelo havia congelado seu sêmen, uma vez que, por conta da medicação contra o câncer do homem, o casal não poderia ter filhos durante o tratamento, caso contrário, a criança poderia nascer com má formação.

Publicidade

“Foram meses de sofrimento, de não ter vontade de voltar para casa após o trabalho até que, num certo dia, eu lembrei que tinha aquela sementinha dele congelada”, contou Eliziane que, em dezembro de 2020, passou pelo processo de fertilização.

Publicidade

No dia 24 de dezembro, às vésperas do Natal, Lizi recebeu a notícia de que o procedimento havia dado certo e que, finalmente, a mulher estava grávida de seu falecido marido.

Publicidade

Em fevereiro, com 13 semanas de gestação, a mulher descobriu que esperava um menino. Entretanto, aos 8 meses de gravidez, Lizi passou por um grande susto: sofreu um acidente de carro seguido de capotamento e apenas quebrou uma unha. “Cada vez tenho mais certeza que Marcelo e Deus estavam comigo”, declara a mulher. Sobre Ravi, Lizi declara: “É uma prova também do amor que a gente tinha“.

Publicidade
Publicidade
Publicidade