in

Jovem perde os movimentos do corpo após cirurgia plástica dar errado e fica irreconhecível

Médico que operou a jovem não tinha licença para operá-la e outros pacientes chegaram a morrer no centro médico.

Daily Mail

Muitas mulheres não se sentem à vontade com seus corpos e querem sempre melhorar alguma coisa. Querer estar mais bonita não é nenhum problema, exceto quando surgem falsos profissionais no caminho da vítima, deixando terríveis sequelas, isto é, quando não acabam com suas vidas.

Publicidade

A norte-americana Linda Perez tinha apenas 18 anos quando decidiu fazer a cirurgia de aumento de seios. Por ser uma moça magra, seus seios eram pequenos e ela decidiu que sua autoestima seria melhorada com um implante de silicone.

Linda conversou com os familiares, que concordaram com sua decisão e pagaram $2.800 (aproximadamente R$15 mil) para que o procedimento fosse realizado no Coral Gables Cosmetic Center, que seria uma referência em Miami para a realização de cirurgias estéticas.

Publicidade

Minutos após ser operada, Linda teve dificuldades para respirar e sua pressão arterial e frequência cardíaca começou a diminuir. Como consequências, a jovem de 18 anos entrou em coma, e permaneceu nesta triste condição por três meses. Linda acordou, mas para a tristeza de sua família, ela sofreu um dano cerebral terrível que tirou os movimentos de seu corpo.

Publicidade

Desde então, a família iniciou uma briga judicial contra o hospital, mas a situação não foi nada fácil desde então. Os familiares precisaram fazer campanhas para arrecadar fundos e pagar o tratamento da jovem, bem como o advogado da causa desistiu de defendê-los na ação por achar muito baixa a indenização que poderiam receber.

Publicidade

Anos após o ocorrido, Linda está irreconhecível e totalmente dependente de seus familiares para praticamente tudo. Foi constatado que o médico que operou a jovem, Mario Alberto Diaz, não tinha licença para fazer as cirurgias plásticas. Três anos após o ocorrido, foi determinado que a clínica não tinha seguro e o valor obtido com indenização foi tão ínfimo que mal pagava honorários do advogado.

Em 2019 uma investigação constatou que cerca de oito mulheres haviam morrido nos últimos anos por fazerem cirurgias plásticas neste centro médico, mas mesmo assim, ele continua sendo anunciado na internet como uma referência em todo o estado da Flórida.

A mãe de Linda declarou que hoje a filha precisa de cuidados 24 por dia como se fosse um bebê. Uma conta de vaquinha virtual foi criada para angariar fundos para os cuidados com a moça, que de acordo com médicos e a família, nunca mais voltará a ser a mesma, pois os danos cerebrais são considerados irreversíveis.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Guti M

Redator de entretenimento e curiosidades