in

Após perder bebê e parar de ovular, mulher se torna mãe de 10 filhos; ela ficou 14 anos grávida

Satu e Andrés contam sobre rotina com 10 filhos em casa. O mais novo possui 7 meses e a mais velha, 13 anos.

Reprodução: Revista Pais&Filhos

Aos 21 anos, a sueca Satu Nordling Gonzalez engravidou de seu marido Andrés, uruguaio e, meses depois, perdeu a criança. Com o aborto, o útero de Satu ficou repleto de cicatrizes, o que fez a mulher acreditar que seria difícil engravidar novamente.

Publicidade

Com todo o stress causado pela situação da perda da criança e pelas sequelas que a morte deixou na mulher, Satu parou de ovular, confirmando, temporariamente, a hipótese da moça de que ela nunca conseguiria ser mãe.

Em um desabafo, a jovem contou sentir que foi criada para se tornar mãe. Entretanto, pensava que a possibilidade havia se anulado.

Publicidade

Primeira filha

Publicidade

Para a surpresa da mulher, no ano de 2008, dois anos e meio após ter sofrido o aborto, Satu engravidou, facilmente, de Nicole.

Publicidade

Família cresceu muito

Depois de Nicole, a família só aumentou. Atualmente, com 35 anos de idade, Satu e Andrés são pais de um total de dez filhos: Benjamin, Nicole, Vanessa, Jonathan, Danilo, Olivia, Kevin, Celina, Isabelle e Melania. Benjamin, o mais novo, possui sete meses. Já Nicole, a primeira filha do casal depois do aborto, completou seus 13 anos.

Rotina

De acordo com Satu, ser mãe é um sacrifício. No entanto, o sorriso e o amor de seus filhos são a recompensa da mulher. A rotina do casal começa, diariamente, por volta das 6:30 da manhã, quando é hora de trocar fraldas e preparar as crianças para irem para a escola. A sós, Satu e Andrés conseguem ficar depois das 8 da noite, quando todos os filhos já foram dormir. O casal consegue iniciar o descanso por volta de meia-noite e, no outro dia, já recomeçam a cheia rotina.

Publicidade
Publicidade
Publicidade