in

Idosa de 102 anos que sobreviveu à gripe espanhola em 1918, ao câncer e à sepse, vence a Covid-19 pela 2ª vez

Angelina Friedman sobreviveu por duas vezes ao vírus que já matou 1,5 milhão de pessoas no mundo.

CNN | Divulgação

A idosa Angelina Friedman, de 102 anos, vem surpreendendo aos médicos desde que ainda era um bebê. Angelina sobreviveu à gripe espanhola em 1918, doença que matou milhões de pessoas em todo o mundo. De acordo com o site CNN, a idosa venceu outros desafios em sua vida, como um câncer, uma hemorragia interna e a uma sepse, infecção generalizada no organismo.

Publicidade

No último mês de março, Angelina se curou da Covid-19, doença que até o momento matou 1,5 milhão de pessoas. Para surpresa de médicos e familiares devido à gravidade da doença, a idosa conseguiu sobreviver ao coronavírus pela segunda vez. As informações foram confirmadas por Joanne Merola, filha de Angelina.

De acordo com a filha da idosa, a mãe testou positivo pela primeira vez em março durante exames de rotina. Após ter febre por algumas semanas na casa de repouso onde vive, Angelina recebeu o diagnóstico negativo para a Covid-19. Merola revelou que recebeu uma ligação da casa de repouso em outubro, com a informação de que a mãe havia testado positivo para a doença novamente.

Publicidade

Ela tinha sintomas, como febre e tosse seca. Eles pensaram que ela poderia estar com gripe”, contou Merola. A mulher disse que a mãe foi para o isolamento e acabou se recuperando novamente. No dia 17 de novembro, Angelina testou negativo para a Covid-19 pela segunda vez. Amy Elba, administradora da casa de repouso onde a idosa vive, afirmou que apesar de algumas dificuldades, Angelina continua celebrando a vida.

Publicidade

A história de Angelina passou por inúmeras lutas. A mãe da idosa faleceu no parto enquanto a família viajava como imigrante a bordo de um navio para Nova York em meio à gripe espanhola. Aos 102 anos, Angelina é a única sobrevivente entre 11 irmãos.

Publicidade
Publicidade
Publicidade