in

Cura próxima? Ministério da Saúde dá importante notícia aos brasileiros na luta contra o coronavírus

Brasil segue computando elevados casos de infectados pelo novo coronavírus, e cenário pode adiantar vacina.

O Globo

Segundo país mais afetado pela pandemia do novo coronavírus em escala mundial, o Brasil segue registrando novos casos da doença em número elevado dia após dia. No entanto, o Ministério da Saúde trouxe uma boa notícia para os brasileiros neste sábado (27).

Publicidade

A pasta anunciou que produzirá 30,4 milhões de doses da vacina contra a doença. A fabricação da vacina será realizada em parceria com a Universidade de Oxford, e será investido cerca de US$ 127 milhões. O primeiro lote deve ser produzido em dezembro e o segundo em janeiro de 2021 através da Bio-Manguinhos.

De acordo com o Ministério da Saúde, as doses só serão aplicadas na população após a finalização dos estudos clínicos e quando for comprovado a devida eficácia da vacina. O acerto entre o Brasil e a universidade americana prevê compartilhamento da tecnologia de produção da vacina com a Fiocruz.

Publicidade

“Nossa parceria é de uma encomenda tecnológica. No desenvolvimento, existe um risco associado a ele, mas nesse caso o mundo inteiro está testando e analisando a eficácia dessa vacina. Estudos preliminares mostram que a vacina tem capacidade de resposta tecnológica bastante significativa”, disse Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde da pasta.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Testes iniciais

O Brasil deve receber nos próximos meses o ingrediente farmacêutico ativo (IFA) da Universidade de Oxford para iniciar a produção dos lotes. Se comprovada de fato da eficiência do medicamento, a vacina será aplicada inicialmente para grupos de risco e profissionais da saúde, que estão na linha de frente do combate à doença.

Publicidade

Até o momento, o país acumula mais de 1,2 milhão de casos de infectados do novo coronavírus, sendo que quase 700 mil pessoas já se recuperaram. O número de óbitos já ultrapassa a casa dos 57 mil.

Publicidade