in

Homem fica desolado ao perder mãe e esposa para a Covid-19: ‘é muito doloroso’

As duas chegaram a ficar internadas juntas; a esposa morreu sem conhecer a casa nova do casal.

Arquivo pessoal Alessandro Santos

Morador de Joinville, na região norte de Santa Catarina, Alessandro Santos está desolado. A Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, matou duas das pessoas mais importantes de sua vida: a esposa, Juliana de Jesus Campos, de 33 anos, e a mãe, Maria das Graças Antônio dos Santos, de 67.

Publicidade

Juliana foi a pessoa mais jovem a morrer de Covid-19 em Joinville. Ela estava internada havia alguns dias e passou o aniversário, em 18 de junho, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São José. A vendedora de bijuterias sofria de Lúpus. Em decorrência desta doença, ela tinha cansaço, dores no corpo, inchaço e problema no rim.

Juliana e Alessandro têm duas filhas, uma de 13 e outra de 14 anos. Eles estavam juntos havia 16 anos. O namoro foi iniciado na cidade de Itanhanhém, litoral sul de São Paulo. Eles se mudaram para Joinville em busca de uma vida melhor, em junho, há cinco e conseguiram comprar um imóvel geminado na planta que será entregue daqui a um ano.

Publicidade

Alessandro afirmou que a esposa era muito querida por todos e que havia grupos, em várias cidades, orando pela recuperação dela. A morte acontece cerca de 15 dias depois do falecimento de Maria das Graças, mãe de Alessandro. Ela morreu de Covid-19 no dia 5 de junho.

Publicidade

Maria das Graças viajou de São Paulo para fugir da cidade que é o epicentro da doença no Brasil. Em Joinville, porém, ficou mal e foi internada. Alessandro também apresentou os sintomas, foi internado, mas se recuperou. Dois dias depois de ele sair do hospital, Juliana apresentou os sintomas da Covid-19 e foi internada.

Publicidade

Juliana e Maria das Graças chegaram a ficar internadas juntas, enquanto as filhas de Alessandro e Juliana apresentavam os sintomas da Covid-19, mas puderem permanecer em casa. No dia 5 de junho, Maria das Graças morreu. Quinze dias depois, foi a vez de Juliana. Alessandro desabafou.

“Infelizmente nossa família foi mais uma vítima da Covid-19. Minha mãe e minha esposa ficaram internadas e acabaram não resistindo. As duas vieram a óbito, primeiro minha mãe e depois minha esposa, em 15 dias”, afirmou. “É muito doloroso”, completou Alessandro.

Ele ainda contou que falou com a esposa pela última vez por videoconferência, antes de ela ser entubada com urgência pelos médicos. Em relação a mãe, não pôde vê-la no caixão lacrado. e lamenta muito por isso. Toda vítima de Covid-19 é enterrada em caixão fechado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!