in

Morre querida pastora evangélica após árdua batalha contra um grave câncer

A pastora era muito conhecida e querida na cidade e não media esforços para ajudar o próximo.

R7

Infelizmente, além das mortes das pessoas que morreram em virtude da Covid-19, o país tem sofrido com perdas de várias personalidades conhecidas, tanto no meio artístico, quanto no meio evangélico. Na última semana, uma cantora e pastora muito conhecida no meio gospel perdeu a vida em virtude do coronavírus.

Publicidade

Na ocasião, familiares, amigos e fiéis ficaram impactados com a perda precoce da pastora Fabiana Carla que morreu aos 45 anos, por causa de complicações do novo coronavírus. Esta semana, o meio evangélico sofreu mais uma perda com a morte de uma líder religiosa.

Ela era conhecida pelos fiéis como uma mulher dedicada na obra de Deus e que amava pregar a palavra de Jesus. Assim era vista a pastora Rosania Correia que morreu no último dia 9 de junho, aos 55 anos, depois de travar uma árdua luta contra um câncer de mama. Ela tratou a doença por aproximadamente um ano e meio.

Publicidade

Os membros da igreja e amigos também descreveram a pastora como sendo uma mulher guerreira e com um enorme coração, pois não media esforços para poder ajudar o próximo. Rosania Correa começou a sua caminhada na fé frequentando a Igreja do Evangelho Quadrangular, onde acabou se tornando pastora.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

No entanto, nos últimos anos, ela estava atuando na Igreja Batista Betel, que fica localizada em Capivari de Baixo, Santa Catarina. A partida da líder religiosa gerou grande comoção, pois no momento que foi colhida por Deus, quando deu a sua partida ela estava cercada de familiares, amigos e cantava um louvor de adoração a Deus.

Publicidade

A pastora deu um sorriso e partiu aproximadamente às 19h, do dia 9 de junho. Ela deixou três filhos e sete netinhos. O velório e sepultamento da religiosa também foi realizado debaixo de uma forte comoção e praticamente parou o município, pois ela era uma pessoa muito conhecida e querida na comunidade.

Publicidade