in

Pesquisa aponta quais são as crianças mais suscetíveis a complicações da Covid-19

Algumas crianças podem ser mais suscetíveis ao coronavírus e desenvolver sérias complicações.

Divulgação/revistacrescer

O novo coronavírus tem assolado o mundo nos últimos meses. Infelizmente, muitas vidas estão sendo perdidas por causa da doença. O novo coronavírus surgiu no final do ano passado na China e desde então se espalhou para diversos países. Como a doença é nova não é possível afirmar com certeza todos os seus malefícios.

Publicidade

Até o momento, são considerados grupo de risco pessoas idosas e portadores de doenças crônicas. As crianças não são grupo de risco, mas algumas complicações envolvendo os pequenos nos últimos meses acendeu o alerta da comunidade médica. Vários estudos estão sendo realizados para entender o impacto da doença nos pequenos.

Um pesquisa recente feita pela Faculdade Baylor, nos Estados Unidos, é uma das primeiras que ofereceu dados mais detalhados sobre crianças afetadas pela Covid-19. O estudo analisou as informações de 48 crianças infectadas com o novo coronavírus que foram tratadas em uma UTI – Unidade de Terapia Intensiva no Canadá e nos Estados Unidos.

Publicidade

Os estudos foram realizados entre o final do mês de marços e começo de abril. A maioria dos pacientes, 83%, tinham comorbidades, como paralisia cerebral, doenças cardíacas congênitas ou alguma outra enfermidade que compromete a imunidade, como o câncer por exemplo. Os estudiosos apontaram que as crianças que nascem doentes ou que ficam logo depois do nascimento como as que são mais suscetíveis a ter complicações com o novo coronavírus.

Publicidade

Inclusive, muitas delas já tinham necessidade de usar tubos de alimentação ou traqueostomias mesmo antes de contrair a Covid-19. Ainda conforme a pesquisa, quase 75% dos casos apresentaram sintomas respiratórios. Aproximadamente 25% das crianças desenvolveu falha em pelo menos dois sistemas orgânicos. No total, 18 das 48 crianças precisaram ser colocadas em ventilação artificial, ou seja, teve que respirar com a ajuda de aparelhos.

Publicidade

Apesar dos quadros preocupantes, a maior parte das crianças conseguiu se recuperar, mas duas evoluíram a óbito. Os cientistas concluíram que as crianças podem sim apresentar um quadro grave de Covid-19, porém o risco de complicações é menor dos que em pessoas adultas e idosas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.