Flamengo: após encontro com Bolsonaro e treinos secretos, sede amanhece pinchada

Presidente do Flamengo tem sido alvo de críticas e sede do clube foi pichada.

PUBLICIDADE

O clima no Flamengo não é dos mais fáceis. O clube que teve faturamento recorde no ano passado – R$ 950 milhões – deixa clara sua vontade de que as competições retornem, mesmo em meio a pandemia causada pelo novo coronavírus. 

PUBLICIDADE

Nesta semana, os jogadores se reapresentaram no CT Ninho do Urubu, na segunda-feira (18). No dia seguinte, o presidente do clube, Rodolfo Landim, participou de um almoço ao lado do presidente do Vasco, Alexandre Campello, e o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília.

Globo flagra treino ‘secreto’ do Flamengo

Na quarta, o Globocop, helicóptero da Rede Globo, filmou atividades sendo realizadas em um dos campos do CT Ninho do Urubu. As imagens foram mostradas ao vivo pela emissora e viraram assunto nas redes sociais. O Flamengo foi muito criticado.

O treino foi realizado sem o aval da prefeitura do Rio de Janeiro e do governo do estado. O prefeito Marcelo Crivella e o governador Wilson Witzel são claros quanto a proibição de realização deste tipo de atividade. O Rubro-negro tinha autorização apenas para realizar trabalhos de fisioterapia. No Rio, Fluminense e Botafogo são contra a volta do futebol neste momento. Flamengo e Vasco têm posição contrária.

Muros da sede do clube são pichados

A sede do Flamengo, na Gávea, zona sul da cidade do Rio de Janeiro, amanheceu pinchada nesta quinta-feira. As pessoas que vandalizaram o local deixaram um claro recado contra Rodolfo Landim. “Fascistas”, “Somos democracia” e “Time do povo” foram as frases pichadas no mundo da sede social do clube de maior torcida do Brasil.

PUBLICIDADE