Filtro Solar Color: proteja-se em ambientes internos e previna câncer

A radiação UV solar não é a única que pode prejudicar a pele, computadores e celulares também emitem luz e os filtros coloridos prometem ajudar.

PUBLICIDADE

Mais do que tratar da beleza, cada vez mais os fabricantes de cosméticos estão preocupados em cuidar da saúde dos seus consumidores. Desta vez, pesquisadores da UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – declararam avanço na criação de filtros solares com pigmentação, que permitem que a pessoa escolha um produto com cor próxima ao tom de pele.

PUBLICIDADE

Mas, não é só isso. Os novos protetores solares protegem não apenas da luz violeta proveniente do sol, em ambientes externos, como também da luz oriunda de telas de computadores e até lâmpadas fluorescentes, que também são prejudiciais e podem causar câncer de pele.

Por isso, os novos produtos são ideais para quem trabalha em escritório e fica exposto a outros tipos de radiação que não a solar. E proporcionam também o cuidado formal com a aparência, levando em conta os diferentes tons de pele, pois não ficaria bem aparecer com o rosto branco como se estivesse na praia, não é mesmo?

Tássia Hanashiro é pesquisadora aliada no projeto da UFRJ e deu entrevista ao G1, portal de notícias do grupo O Globo, destacando a importância da prevenção contra a luz violeta nos ambientes internos e a entrega da cor ideal para cada tonalidade de pele.

A lista de inovações do setor não pára por aí. A pesquisa inclui a junção de um outro produto à fórmula, o repelente de insetos, ajudando assim na prevenção de doenças como malária, zika e dengue, por exemplo.

PUBLICIDADE

Os testes já chegaram na sua fase final e uma grande marca de cosméticos, em breve, lançará o produto, que vinha sendo pesquisado há mais de dois anos pela equipe brasileira da Universidade no Rio de janeiro. É um grande avanço na área.