in

‘Pai do ano’ surpreende com resposta avassaladora em vizinho que reclamou do choro do bebê

Este vizinho incompreensivo ficou incomodado com o choro de um bebê, mas o pai não saiu por baixo e deu uma resposta avassaladora.

Reprodução/Pinterest

Bebês são sempre uma alegria para a casa e para a maioria das pessoas ao seu redor, porém, em algumas ocasiões, podem realmente incomodar bastante, tanto os pais, quanto outras pessoas. Entretanto, espera-se que haja compreensão, pois o choro é um comportamento natural das crianças nessa fase.

Publicidade

Um vizinho intolerante, no entanto, passou dos limites da ética de convivência e do bom senso e chegou a ameaçar uma família devido ao choro de uma criança de 19 meses, que ocorria durante as noites e madrugadas. Nacho Duque é um jornalista espanhol e pai do menino, que precisou responder ao vizinho brigão. 

Segundo Nacho, como relatou em seu Twitter, o homem fazia queixas recorrentes através de notas que colocava em sua porta e, inclusive, em uma das ocasiões, com tom ameaçador. O pai, então, recorreu às redes sociais, compartilhando a situação e dando uma resposta em alto nível para o vizinho, que não foi identificado.

Publicidade

Uma das notas pedia que os pais impedissem os filhos de “gritar” à noite ou logo pela manhã, devido ao fato de estarem em um edifício e a situação incomodar as outras pessoas do prédio. Outra delas dizia que os filhos são responsabilidades dos pais e ameaçava entrar com uma queixa na administração do prédio. 

Publicidade

Entretanto, o pai respondeu que as crianças possuem um “problema de fabricação”, pois não vêm com botão de volume para serem desligadas quando estiverem incomodando. A resposta de Nacho dizia, ainda, que não se tratava de algo que fosse culpa dos pais, mas sim de uma reação natural dos bebês que não tinha como ser solucionada apenas para satisfazer o horário ideal para os vizinhos.  

Publicidade

Um internauta demonstrou solidariedade a Nacho relatando que passou por situação semelhante, mas que havia sido apenas uma vez, pois prontamente respondeu que a criança não gritava mais nem menos do que alguns casais do condomínio que faziam muito barulho quando tinham relações íntimas.

Publicidade
Publicidade
Publicidade