in

Mulher admite que zombou do ‘fique em casa’, perdeu o marido para o coronavírus e hoje apela por isolamento

Esposa lamenta: “há 15 dias, eu escutava essas palavras ‘fique em casa’ e até cheguei a zombar”.

G1

O mundo inteiro está passando por um momento muito delicado após o surgimento do novo coronavírus que deu início em meados de dezembro na China. Desde então, pouco mais de 5 meses do seu surgimento todos os países já foram contaminados com o vírus.

Publicidade

O país mais afetado está sendo os Estados Unidos, com mais 1,2 milhões de infectados e mais de 74 mil mortes. Em todo o planeta já tem mais de 3,7 milhões de infectados e mais de 265 mil mortes. No último levantamento do Ministério da Saúde o Brasil, já tem mais de 120 mil infectados e mais de 8,5 mil mortes.

A principal medida tomada para evitar a propagação do vírus é o isolamento social, enquanto cientistas de todo o planeta correm contra o tempo para desenvolver uma vacina eficaz contra o vírus.

Publicidade

Em meio ao isolamento social defendido pelos governantes de cada cidade, uma comerciante da cidade de Santa Rita, na Grande João Pessoa, ficou revoltada com o isolamento social. A mulher chegou a zombar do isolamento social e defendia o funcionamento do comércio em geral durante a pandemia do coronavírus.

Publicidade

A mulher foi identificada como Silvana Cunha, é dona de uma vidraçaria na localidade. Porém, o esposo da mulher identificado como Marco Cirino da Cunha, de 57 anos, sargento reformado da Polícia Militar, morreu na última quinta-feira (30), por coronavírus.

Publicidade

Após a morte do esposo, a mulher mudou sua opinião sobre o isolamento social.
Essas palavras ‘fique em casa’ são muito pesadas pra mim hoje, porque eu não fiquei em casa, meu marido não ficou e infelizmente faleceu. Ontem eu senti o peso delas mais ainda, quando cheguei e meu filho olhou pra mim: ‘mãe, você salvou meu pai?’ e eu apenas disse que não“, lamentou a mulher.  

Agora Silvana está alertando as pessoas da cidade de Santa Rita, com 162 casos até 6 de maio, para ficar em casa e se cuidar. 

Publicidade
Publicidade

Escrito por Francisco Nunes

Barbeiro profissional.