in

Mãe e filho se apaixonam e lutam na Justiça pelo direito de viver o romance

A mãe e filho alegam que se apaixonaram e lutam na Justiça para poderem oficializar o relacionamento.

Divulgação / RedeTV

Um caso inusitado deixou a população da cidade do Novo México, nos Estados Unidos, completamente em choque. O motivo é uma relação de mãe e filho que afirmam ser apaixonados e desejam viver um relacionamento de homem e mulher.

Publicidade

Caleb Petersen e a mãe, Monica Mares, acabaram virando o centro das atenções por causa do romance nada convencional. O casal tomou uma decisão extrema e decidiu entrar na Justiça para requerer o direito de manter a relação. De acordo com informações divulgadas pelo portal de notícias Daily Mail, Monica deu à luz a Caleb quanto tinha 16 anos.

Na ocasião, a mãe optou por colocar o filho para adoção. Contudo, com o passar dos anos, mãe e filho se reencontraram e o sentimento acabou aflorando entre eles, sendo considerado por ambos, como amor a primeira vista. A mulher contou que assim que eles se encontraram pela primeira vez, deram as mãos e aconteceu o primeiro beijo.

Publicidade

“Nós demos as mãos e acabamos nos beijando. E o beijo levou a outras coisas”, revelou Monica durante uma entrevista concedida ao jornal. O que a mulher fez questão de frisar foi que conheceu uma pessoa nova e acabou se apaixonando. No entanto, de acordo com ela, isso somente foi possível por ter colocado o filho para adoção.

Publicidade

Na verdade, existe um detalhe nesse caso que também causa certa estranheza. Dayton Chavez, o ex-marido de Monica Mares, que é o pai de seus nove filhos, disse que não vê nenhum problema e, inclusive, aprova o namoro entre mãe e filho. Ele ainda fez questão de frisar que a Justiça deveria deixar o casal viver o amor entre eles, normalmente.

Publicidade

O casal alegou sofrer de uma rara condição que é conhecida como atração sexual genética. Segundo eles, por esse motivo, a relação deveria ser considerada legal. Mãe e filho são acusados de cometerem incesto e, por causa disso, eles podem ser condenado a um ano e meio de prisão, além da condenação de multas no valor de U$ 5 mil dólares.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.