in

Enfermeiro de 28 anos com Covid-19 tem alta na UTI após 22 dias: ‘não é uma gripezinha’

A esposa do enfermeiro relatou como foi acompanhar a doença do marido e os dias na UTI.

Divulgação/G1

O enfermeiro Gabriel Ferreira Groba, de 28 anos, passou por dias difíceis ao ficar hospitalizado por 22 dias na UTI – Unidade de Terapia Intensiva, após contrair o novo coronavírus. Ele recebeu uma linda homenagem dos colegas de trabalho, localizado na Praia Grande, região litorânea de São Paulo.

Publicidade

O rapaz recebeu alta no último sábado, 25 de abril, e ganhou uma festinha surpresa que foi realizada pelos colegas ao sair da unidade. Ao som da música Vencedor, o enfermeiro viu os colegas e reencontrou a esposa. Durante uma entrevista concedida ao portal de notícias G1, a esposa de Groba, Ana Carolina, de 33 anos, contou que o momento foi de renascimento.

“Ele ficou 22 dias na UTI, 18 deles com ventilação mecânica, sendo que ele não tinha nenhuma patologia. Foi uma surpresa para todos”, desabafou a mulher, que também é enfermeira. Inclusive, ela ressaltou que eles procuram o hospital logo nos primeiros sintomas. O enfermeiro apresentava febre alta e dores no corpo e, após ser submetido a uma tomografia, teve que ser internado.

Publicidade

Na mesma semana, Gabriel precisou ser entubado por apresentar dificuldade respiratória. “Tudo aconteceu muito rápido. Quando ele soube da entubação, teve medo de passar pelo procedimento e não voltar. Ele não tem nenhuma doença, e isso só mostra que o vírus não é uma gripezinha”, salientou Carolina.

Publicidade

Como também é enfermeira, ela entendia todos os boletins médicos e sabia quando a situação era mais crítica ou quando apresentava uma melhora. Após 18 dias, ele pôde ser retirado da ventilação mecânica e começou a melhorar até sair da UTI – dois dias depois. No total, foram 28 dias de internação, somente seis dias na enfermaria.

Publicidade

O casal tem dois filhos pequenos, Guilherme, seis anos, e Matheus, com três aninhos. Ao ser questionada sobre planos para o futuro, Carolina disse que a recuperação do marido está em primeiro lugar, pois ele tem algumas dificuldades ainda e vai voltando a falar e andar aos poucos. O enfermeiro precisará ficar um tempo em isolamento domiciliar, mas já tem o desejo de voltar a trabalhar o mais rápido possível.

Publicidade
Publicidade
Publicidade