in

Mãe desesperada não consegue se despedir de filha e declara: ‘não fizeram teste’

O corpo da jovem foi enterrada com a presença de pouca quantidade de pessoas.

G1

A onda do novo coronavírus tem deixado devastação por onde passa. Até o momento, a Covid-19, doença provocada pelo vírus, matou mais de 2 mil pessoas no Brasil e atingiu mais de 50 mil, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde. Os números são preocupantes e crescentes.

Publicidade

Uma das vítimas fatais do coronavírus foi a jovem Caroline Maduro, que tinha apenas 30 anos de idade. Ela era portadora de autismo e morava com sua família na cidade de Petrópolis, que fica localizada no estado do Rio de Janeiro.

Carola, como costumava ser carinhosamente chamada pelos pais, começou a sentir sintomas da Covid-19 e teve que ser levada para uma unidade de saúde. Ela ficou afastada dos familiares por ser considerada um caso suspeito. 

Publicidade

A mãe da jovem, Graça Maduro, de 64 anos, lamentou o fato de a filha ter falecido sem parentes ao seu lado: “Eu sempre cuidei dela com muito carinho e amor. Saber que ela morreu longe de mim e depois foi colocada em um caixão lacrado é uma sensação horrível”.

Publicidade

Graça criticou ainda, em entrevista à BBC News, o modo como os profissionais na saúde que atenderam Carola. Segundo ela, deveria ter uma análise mais aprofundada de seu caso para que ela fosse considerada um caso suspeito da Covid-19.

Publicidade

De forma a seguir as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o sepultamento de Caroline teve a presença de poucas pessoas e o caixão teve que ser lacrado para evitar proliferação do vírus. Dona Graça não conseguiu se despedir da filha.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Aurilane Alves

Escrevo sobre os assuntos mais bombados do momento, famosos, curiosidades, notícias em geral. Pode entrar em contato comigo por meio do Instagram @paolla.evellyn