in

Casal perde bebê de 3 meses por Covid-19, e prefeito anuncia morte em live no Facebook

Catraca Livre / Divulgação Prefeitura de Iguatu

A história do casal José Ferreira e Silmara Mourão, mecânico e dona de casa na cidade de Iguatu, no Ceará, é muito triste. Os dois estão de luto com a morte da filha de três meses, que tinha sintomas da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, no Hospital Regional de Iguatu. A bebê havia nascido com Síndrome de Barterr, doença rara que causa deficiência de potássio no orgamismo. Por esse motivo, ela ficava gripada com frequência.

Publicidade

Não houve tempo para que a bebê fosse transferida para um hospital de referência de Fortaleza. A suspeita da infecção por coronavírus fez com que a família tivesse apenas uma hora para se despedir.

Dois dias depois da morte, José e Silmara estavam muito abalados e receberam a ligação da Secretaria de Saúde, confirmando que a bebê havia morrido por Covid-19. A ligação caiu, após a profissional dizer que os pais também poderiam fazer o exame para diagnosticar a doença. O casal tentou retornar a ligação, mas não conseguiu.

Publicidade

A situação ficou ainda pior quando o prefeito da cidade, Ednaldo Lavor (PDS), confirmou a morte em live no Facebook. O administrador municipal não citou o nome da bebê, mas falou a idade e o bairro onde a família morava. A partir daí, os familiares passaram a receber muitas ligações.

Publicidade

A bebê morreu no dia 3 de abril. No dia 5, o prefeito falou sobre a morte em live. “Quando estávamos na situação mais frágil, o prefeito achou por bem machucar mais, falando da morte da nossa bebê no Facebook”, desabafou o pai da bebê, que ainda completou: “Na cidade, tem pessoas de alto escalão que estavam com a suspeita do coronavírus e nunca foi falado nada delas. Aí, só porque somos de classe inferior, rasgaram logo na rede social”, afirmou José, em entrevista ao The Intercept Brasil.

Publicidade

De acordo com José, após a fala do prefeito nas redes sociais, Facebook, Instagram e WhatsApp deles começaram a receber mensagens. O pai em luto ainda disse que fotos dele com a bebê foram publicadas em grupos e foram feitas reportagens em jornais locais.

O casal também foi vítima de fakenews, com a circulação da foto de uma criança em uma encubadora, como se fosse a bebê morta por Covid-19. A menina nunca ficou em incubadora. Além da bebê de três meses, João e Silmara têm outras duas filhas, de 11 e de 17 anos. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!