in

Ministério da Justiça planeja comprar tablets para detentos conversarem com familiares

UOL

Durante a pandemia do coronavírus muitos serviços e também benefícios foram cortados, com o intuito de reforçar o isolamento social que se fez necessário devido à contaminação crescente em nosso país, o que faz com que muitas pessoas fiquem sem seus direitos garantidos por lei, como é o caso dos presidiários.

Publicidade

Algo que era um benefício desse grupo é a visita de familiares que geralmente aconteciam uma vez por semana, porém isso também teve que ser cortado pela justiça, tendo em vista o grande risco para os próprios detentos, pois o vírus poderia se espalhar facilmente dentro dos presídios.

Diante dos fatos a justiça se viu no dever de tentar resolver a situação de alguma maneira, mesmo que de forma provisória, e uma das formas encontradas e que está sendo analisada é a compra de tablets, para que assim os presos consigam falar com seus familiares e também participem de audiências através de videoconferência.

Publicidade

Segundo o Ministério da Justiça, a princípio seriam adquiridos 600 equipamentos, sendo os mesmos usados em presídios do sistema federal, o que permitiria que os detentos falassem com seus familiares uma vez por semana através de vídeo, mas a pasta ainda está analisando as opções para finalizarem a compra.

Publicidade

Com isso, a notícia causou uma enorme discussão nas redes sociais, o que fez com que muitas pessoas ficassem de certa maneira indignadas, quando até um dos filhos do presidente Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro decidiu entrar na polêmica e fez uma postagem em sua rede social criticando a possível medida adota.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade