in

Marcão do Povo pede ‘campo de concentração’ contra coronavírus, mas se dá muito mal

SBT / Montagem

Nesta quarta-feira, 8 de abril, o apresentador Marcão do Povo passou dos limites ao comentar como está o coronavírus em todo o país. O comunicador sugeriu que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, coloque os infectados pela Covid-19 em campos de concentração e que esses sejam cuidados pelas forças armadas 

Publicidade

Se é que alguém não sabe, os campos de concentração ficaram famosos na segunda guerra mundial. Nos locais, grupos minoritários da Europa, como judeus, ficavam confinados e eram escravizados e mortos. Marcão do Povo, aparentemente, esqueceu-se que o dono do SBT, Silvio Santos, é judeu e não teve qualquer cuidado com as palavras. 

Ele acabou se dando mal, já que nas redes sociais muita gente pede agora a cabeça do comunicador, que no passado foi acusado de ser racista em um polêmica com a cantora Ludmilla. 

Publicidade

“Não seria interessante pegar, por exemplo, o Exército, Marinha e Aeronáutica e montar um campo de concentração, de cuidado, com equipamentos mais sofisticados, com os melhores profissionais e colocar essas pessoas com problemas, sintomas?”, questionou o apresentador do Primeiro Impacto ao vivo no ar. 

Publicidade

Veja abaixo o vídeo que mostra o apresentador Marcão do Povo sugerindo um campo de concentração para conter o coronavírus, causando revolta logo na sequência. 

Publicidade

“Olha como pensa o cidadão de bem. Ao vivo, em rede nacional, o apresentador de um telejornal do @SBTonline sugere um campo de concentração para isolar todos os casos confirmados de coronavírus. UM CAMPO DE CONCENTRAÇÃO”, disse um dos internautas ao falar sobre o assunto. 

Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.