in

Ministério da Saúde prevê medidas de isolamento por coronavírus até junho

EFE

Conforme especialistas previam, as medidas para conter o coronavírus no Brasil devem durar pelo menos três meses. O Ministério da Saúde preparou um documento com medidas restritivas mais duras para todo o país.

Publicidade

Dentre as medidas estão os cancelamentos de aulas em escolas e universidades até o mês de junho, bem como a adoção de distância social entre trabalhadores dentro da empresa, no caso daquelas que não podem operar em home office. Também fica suspensa a realização de eventos que gerem aglomerações, como shows e partidas de futebol. Por fim, os restaurantes e bares poderiam funcionar, mas com redução de público em 50%.

As recomendações serão repassadas pelos técnicos do SUS (Sistema Único de Saúde). As medidas mais rígidas seriam adotadas em abril, maio e junho, com início em 6 de abril. Acredita-se que o grande pico de transmissão da doença no Brasil ocorra em abril e quanto menos pessoas circulando, menores as chances de transmissão do vírus.

Publicidade

A pasta ainda prevê que o governo tenha que criar mais 40 mil leitos para atender a alta demanda, trabalhando, nesse caso, com a pior das hipóteses de contagiados. Há a previsão de que o governo contrate trabalhadores informais para ficarem nas ruas como promotores de saúde, onde, dentre suas funções, possam conferir informações a população e levar idosos que estão nas ruas para casa.

Publicidade

Eles também fariam a limpeza de superfícies públicas que possam estar contaminadas. Não ficou claro se esses promotores teriam diferentes categorias ou se todos poderiam realizar as mesmas funções.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Guti M

Redator de entretenimento e curiosidades