Profissional da saúde morre com coronavírus; colega de trabalho aponta o responsável

PUBLICIDADE

Com início na China, o novo coronavírus tomou uma enorme proporção e se espalhou para os países ao redor do mundo. Os profissionais da saúde acabam sendo as pessoas mais expostas ao vírus, necessitando de um cuidado redobrado.

PUBLICIDADE

O New York Post noticiou o comovente caso de Kious Kelly, enfermeiro em um hospital na cidade de Nova York, situada nos Estados Unidos, que testou positivo para o Covid-19. Com 48 anos, não aguentou lutar contra a doença e morreu.

De acordo com os colegas de trabalho, o rapaz teria contraído a doença devido a falta de proteção no hospital, a precariedade é tanta que há relatos de que estariam usando sacos de lixo como proteção do coronavírus.

PUBLICIDADE

Uma enfermeira, revoltada pela situação, desabafou ao New York Post: “Kious não merecia isso. O hospital deveria ser responsabilizado. O hospital o matou”. Segundo informações da irmã mais nova, Marya Sherron, ao jornal que noticiou a matéria, o enfermeiro possuía asma grave, porém, era saudável.

Kious é retratado pelos funcionários do hospital como uma pessoa que sempre esteve disposta a ajudar as outras, principalmente neste momento delicado que vivemos hoje.

As últimas mensagens de Kious Kelly para a família

Internado, e não podendo falar pessoalmente com seus familiares, Kious se comunicava através de mensagens. As últimas enviadas antes de morrer são de cortar o coração: “Estou bem. Não conte para mamãe e papai. Eles ficarão preocupados”, escreveu para sua irmã.

As mensagens seguintes de Marya ficaram sem respostas. Menos de uma semana após a conversa, o enfermeiro veio a falecer.