in

Dono da Madero reclama: ‘Brasil não pode parar por 5 ou 7 mil mortes’

UOL

Junior Durski, que passou a ser alvo de boicotes por parte do público desde que manifestou o seu apoio ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, sofreu boicote por parte do público.  Outras pessoas disseram que comprariam ainda mais na hamburgueria do empresário, a Madero. No entanto, nessa semana, o nome de Junior ficou entre os assuntos mais falados da internet por conta do coronavírus. 

Publicidade

O empresário não é a favor, por exemplo, do método da quarentena para evitar que mais pessoas morram por conta do coronavírus. Para o empresário, as consequências de uma parada total do país por meses podem ser piores do que as mortes que vão ser geradas por conta da COVID-19. 

“O país não aguenta, não pode parar dessa maneira. As pessoas têm que produzir e trabalhar. Não podemos [parar] por conta de cinco ou sete mil pessoas que vão morrer. Isso é grave, mas as consequências que vamos ter economicamente no futuro vão ser muito maiores do que as pessoas que vão morrer agora com o coronavírus”, disse o empresário ao falar sobre o tema. 

Publicidade

Muitas pessoas não gostaram da fala do empresário e chegaram a prometer que, após a quarentena, não iriam tão cedo na hamburgueria dele. Junior, no entanto, não está sozinho em seus argumentos. Outros empresários temem que a pobreza gerada por conta do coronavírus faça a sociedade sofrer mais que a doença. 

Publicidade

No Brasil, são quase duas mil pessoas infectadas pela doença. No mundo, são quase 400 mil portadores do novo coronavírus. No planeta, são mais de 17 mil mortes por conta do problema. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.