in

Como vivia primeira vítima fatal do coronavírus no Brasil é de cortar o coração

G1 / Pixabay

Um homem de 62 anos foi a primeira vítima fatal do novo coronavírus. A morte aconteceu no estado de São Paulo e foi confirmada nesta terça-feira (17). A notícia se espalhou com uma velocidade muito rápida pela internet e deixou muita gente preocupada.

Publicidade

O óbito no Brasil se soma aos mais de sete mil em todo o mundo, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). Até o momento, foram registrados 170 mil casos em todo o mundo. Por causa disso, o coronavírus foi classificado como pandemia pela OMS.

São Paulo registrou mais de 200 casos e confirmou a primeira morte. O Rio de Janeiro também concentra muitos casos. Ainda nesta terça, o secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann, e o Coordenador do Centro de Contigência do Coronavírus de São Paulo, David Uip, darão entrevista coletiva para falar sobre o caso.

Publicidade

De acordo com o UOL, o homem de 62 anos que morreu em São Paulo era paciente do Hospital Israelita Albert Einstein, onde foi registrado o primeiro caso no Brasil, na semana passada, depois que um empresário voltou de viagem da Itália.

Publicidade

A situação do homem que morreu nesta terça-feira era bem difícil. Ele sofria de hiperplasia prostática, um aumento benigno dessa região. Além disso, ele tinha diabetes e hipertensão. Com estes problemas de saúde e mais de 60 anos, o homem pertencia ao grupo de risco.

Publicidade

O novo coronavírus, que causa o covid-19, pode ser muito letal para pessoas idosas, devido ao sistema imunológico mais frágil nessa faixa etária. Pessoas que fazem tratamento contra o câncer, como quimioterapia, e que desenvolveram AIDS também estão no grupo de risco para essa doença.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!