in

Mulher encontra recém-nascida na porta de sua casa; o que acontece depois levará você às lagrimas

Divulgação / Polícia Militar

No distrito de Cana Brava, em João Pinheiro-MG, uma bebê recém-nascida foi encontrada ainda com o cordão umbilical e enrolada à uma tolhaa na madrugada do último domingo, 8, abandonada em frente à uma residência.

Publicidade

Ao ouvir o choro de um bebê, a moradora desse imóvel foi até o lado de fora conferir. Para sua surpresa, encontrou a bebê chorando e suja de sangue, ao lado de um cachorro. A sua reação foi pegar essa bebê e levá-la a uma farmácia, próxima à sua casa.

Chegando lá, Mauri, o dono da farmácia, fez uma ligação para Luizinho da Ambulância, que é vereador da cidade. Ele, por sua vez, entrou em contato com Gerson, enfermeiro da comunidade, que, enfim, deu os primeiros socorros à bebê.

Publicidade

O enfermeiro cortou o cordão umbilical e fez os primeiros cuidados. A recém-nascida foi levada ao Hospital Municipal de João Pinheiro.

Publicidade

Graças ao esforço de todos, a bebê não corre risco de morte.

Publicidade

Reviravolta no caso

Gabriela, a mulher que supostamente encontrou o bebê e buscado por ajuda é, na verdade, tia da criança e teria ajudado a irmã no parto. A polícia encontrou inconsistências no depoimento prestado por Gabriela, e o policial retornou à residência dela, onde o bebê foi encontrado. Lá ele se deparou com a irmã de Gabriela, menor de idade, com sinais de que havia passado por um parto recentemente.

“Nós questionamos porque a criança não estava suja de terra, apenas suja de sangue e com o cordão umbilical limpo. Aí as duas entraram em contradição e se entregaram”, disse o Sargento Darley.

Abandonar recém-nascido no Brasil é crime

De acordo com o código penal – Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940, artigo 134, expor ou abandonar recém-nascido, para ocultar desonra própria pode levar à pena de detenção de seis meses a dois anos. Em casos de lesão corporal de natureza grave, a pena vai de 1  a 3 anos de detenção. Se o bebê vier a óbito, a pena é de 2 a 6 anos de detenção.

No caso exposto acima, a família que abandonou a recém nascida, caso encontrada, pode responder à justiça e, se condenada, pegar de 6 meses a 2 anos de detenção.

Publicidade

Escrito por Flávio M.

Empreendedor, apaixonado por tecnologia, inovação e esportes.