in

Atrás das grades: Maju e o poder da Justiça brasileira

Globo / Montagem

A jornalista Maria Júlia Coutinho, a Maju, é um dos nomes mais conhecidos da TV. Ela sentiu o poder da justiça brasileira nesta segunda-feira, 9 de março, quando dois homens foram condenados pelo TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo). Os homens foram condenados por racismo contra a própria hoje apresentadora do Jornal Hoje. É o que mostra uma matéria publicada pelo portal de notícias UOL. 

Publicidade

Erico Monteiro dos Santos foi condenado a seis anos, enquanto Rogério Wagner Castor Sales recebeu pena de cinco anos. A pena de racismo, no entanto, será cumprida em regime semiaberto. Em muitos casos, o preso pode até dormir em casa e só comparecer à justiça em datas organizadas. Em outras oportunidades, no entanto, o condenado é obrigado a dormir na cadeia. 

Os condenados pelo crime de racismo contra Maju, no entanto, ainda podem recorrer da decisão. O juiz do caso, Eduardo Pereira Santos Júnior, ao dar sua sentença, chegou a dizer que tamanhos atos dos condenados eram “enojantes”. 

Publicidade

“O ataque racista, desse modo, não estaria restrito a um gueto ou ao submundo da internet no qual transitavam os acusados. Ao atacar figura pública emblemática, os réus visavam – e de alguma forma obtiveram – ampla repercussão de suas mensagens segregacionistas”, diz o juiz lembrando que Maju não era só uma pessoa comum, mas alguém de relevância e que atacá-la, de certo modo,  acabava atacando também outras pessoas negras.  

Publicidade

Lembrando que, em 2015, quando ainda era garota do tempo do Jornal Nacional, Maju foi alvo  das ofensas. Ela ainda não comentou a decisão judicial.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.