in

A decisão da Justiça que pode complicar ainda mais a vida do Goleiro Bruno

Folha Política / Reprodução

Um dos casos que mais repercutiram no Brasil foi o assassinato de Eliza Samúdio. Ex-amante do Goleiro Bruno Fernandes, ela foi morta e seu corpo jamais foi encontrado. Desde então, Bruno paga pelo crime, ao mesmo tempo, em que tenta viver em sociedade. Nessa semana, no entanto, a Justiça de Minas Gerais deu uma decisão preocupante para o goleiro Bruno Fernandes das Dores, como mostra uma matéria do site do jornal carioca Extra. 

Publicidade

Isso porque a Justiça de Minas Gerais quer que o goleiro prove que está trabalhando. A justiça, na decisão assinada pelo juiz Tarciso Moreira de Souza, deu um prazo de dez dias para que a defesa do ex-goleiro do Flamengo apresente essas provas. Além de ter que provar que está trabalhando em algo lícito, o goleiro Bruno ainda tem que provar o atual endereço. 

Isso pode ser preocupante. Isso porque, recentemente, Bruno chegou a assinar com um clube da Bahia, mas o time voltou atrás. Já em fevereiro, Bruno voltou a dizer que não assinou qualquer contrato com um time de Minas Gerais, o que dá a entender que, no momento, pelo menos no ramo do esporte, ele não estaria empresado. 

Publicidade

Atualmente, Bruno tem direito ao regime semiaberto. No caso de Bruno, a prisão dele é a chamada domiciliar. Apesar de ter o direito de dormir no seu lar, o ex-goleiro do Flamengo tem hora para voltar para casa, não pode frequentar determinados lugares, além de cumprir com várias regras que são estabelecidas pela Justiça. 

Publicidade

O goleiro Bruno Fernandes foi condenado a uma pena de 20 anos e 9 meses pela morte de Eliza Samúdio. O crime ocorreu em 2010 e chocou o Brasil inteiro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.