in

Lembra dele em Cidade de Deus? Após morar na Cracolândia, sua vida é de encher os olhos

Foto: Divulgação; Amauri Nehn/Brazil Photo Press/Estadão Conteúdo; Reprodução/Facebook/Rubens Sabino

O filme “Cidade de Deus” foi um verdadeiro marco do cinema nacional. Lançado em 2002, o longa de Fernando Meirelles conta o início das guerras do tráfico nas favelas do Rio de Janeiro ainda na década de 70, onde o bando de Zé Pequeno rivalizava com o bando de Mané Galinha. 

Publicidade

Um dos traficantes presentes na narrativa da história é conhecido como “Neguinho”, que tem participação decisiva no desenrolar da trama ao matar “Bené”, melhor amigo e parceiro de Zé Pequeno no tráfico da favela Cidade de Deus. 

Neguinho foi interpretado pelo ator Rubens Sabino, que em sua vida real teve passagens semelhantes aos de seu personagem famoso. Usuário de drogas, Rubens foi encontrado na Cracolândia de São Paulo em 2015 e admitiu na ocasião que já morava no local desde 2011. 

Publicidade

O ator disse na época que a Cracolândia é um “pedacinho do inferno” e que já estava sem usar crack há alguns meses, e que por conta disso estava recebendo ajuda de um empresário para tirar um passaporte e viajar para Portugal, onde teria um trabalho garantido. 

Publicidade

Pouco se sabe sobre como foi a passagem de Rubens Sabino em solo europeu, no entanto em 2019 ele foi visto novamente em situação de rua em frente uma livraria pedindo dinheiro para conseguir comprar um livro de Michel Foucault. O ator disse na ocasião que queria comprar o livro para usar como base para um roteiro de teatro, pois queria voltar a trabalhar. 

Publicidade

Nessa outra aparição em público, também em 2019, Rubens mostra uma outra vertente de sua arte, a de cantor em uma batalha de rap. Na ocasião fez um belo discurso sobre como a arte pode tirar os jovens das ruas e da droga. 

Publicidade
Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com