in

A terrível doença que transforma pessoas em estátuas

Foto: Jorge Royan (Sob Licença Creative Commons)

No mundo, uma doença tem assustado a todos: o coronavírus. No entanto, imagine ter um problema que paralisa todo o corpo e deixa a pessoa sem qualquer reação motora por horas, dias e até semanas. Essa doença existe e se chama catatonia. Nesta quarta-feira, 26 de fevereiro, o portal de notícias R7 fez um artigo a respeito do tema, impressionando muita gente. 

Publicidade

Até hoje, cientistas tentam entender o que leva ao problema, que é de ordem neurológica. Os primeiros registros históricos de catatonia foram dados na Era Vitoriana. Mesmo hoje, muitos anos depois, novos casos continuam ocorrendo no planeta, intrigando os médicos. Inicialmente, acreditava-se que a catatonia era ligada diretamente a outro problema psíquico, a esquizofrenia. 

Muitos dos portadores dessa doença eram vítimas  de preconceito, especialmente nos primeiros casos do problema.  Médicos sabem hoje que apenas 7% dos pacientes catatônicos também possuem a esquizofrenia. 

Publicidade

A única coisa que a medicina conseguiu evoluir da Era Vitoriana (20 de jun. de 1837 – 22 de jan. de 1901
) para cá foi em como lidar com o maior problema da doença, a incapacidade motora. Alguns tratamentos já aliviam esses sintomas, mas a cura está longe de ser descoberta, o que deixa familiares desses pacientes muito aflitos. 

Publicidade

Geralmente, uma injeção de lorazepam anula os efeitos paralisantes em poucas horas Após serem acordados, os pacientes dizem que se lembram de tudo o que aconteciam. Alguns lembram da sensação de acharem que morreram, já que não conseguem se mexer, enquanto outros revelaram medo de ficarem dessa porma para sempre. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.