in

Sem as mãos, mulher não consegue assinar papel e INSS nega benefício

Arquivo pessoal Cleomar / Reprodução Rede Amazônia

A história da ex-sinaleira Cleomar Marques é surreal. Acostumada a trabalhar, ela passou por um grave problema de saúde, foi operada e entrou em coma por causa de uma infecção generalizada.

Publicidade

Quando acordou, Cleomar estava sem as mãos e sem os pés, que haviam necrosado e tiveram que ser amputados. Ela mora com a filha em um bairro de Porto Velho, capital de Rondônia. A jovem não pode trabalhar porque cuida da mãe.

No momento, Cleomar conta com a ajuda da mãe e de amigos da igreja para poder se alimentar. Em entrevista ao telejornal local de Porto Velho, ele afirmou que a situação é constrangedora.

Publicidade

Mais constrangedor ainda foi a atitude do INSS para com ela. Cleomar entrou com três pedidos para receber o benefício em 2019. O problema é que as três foram negadas.

Publicidade

Em uma das vezes, o pedido de Cleomar foi negado porque ela não conseguia assinar os papéis.

Publicidade

“Uma servidora puxou os papéis e perguntou: ‘quem vai assinar? Você assina?’. Eu disse que não podia assinar, mas sim a minha filha ou minha mãe. A mulher então olhou e disse: ‘ah, então não vale’. Daí ela pegou, rasurou o papel e jogou fora”, conta Cleomar.

Após o INSS negar os benefícios, Cleomar fez um novo requerimento no órgão público para receber um benefício assistêncial à pessoa portadora de defiência. O pedido foi indeferido porque ela tem renda per capita superior a 1/4 do salário mínimo, cerca de R$ 238,50.

O INSS explicou que um benefício foi negado por falta do período de carência. O outro teria sido negado por causa da renda percapita familiar. De acordo com a instituição, Cleomar pode solicitar um novo benefício.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!