in

Torcida Rubro-Negra faz pressão para a saída de BAP, após demissão de Pelaipe

Gilvan de Souza/Flamengo

Nem tudo são flores no clube da Gávea, na segunda-feira (06), veio a bomba da demissão de Paulo Pelaipe, forte aliado do dirigente Marcos Braz, que mantinha boa relação com o treinador Jorge Jesus e o elenco rubro-negro. A demissão gera um clima instável e realça a richa que já existe nos bastidores, desde antes da última eleição para presidente no Flamengo.

Publicidade

Pelaipe foi demitido por Luiz Eduardo Baptista, o BAP, que ocupa o cargo de vice-presidente de relações externas. De acordo com as informações de Mauro Cezar Pereira, da ESPN, o desligamento do executivo foi uma jogada de BAP para desestabilizar Marcos Braz na disputa política dentro do clube carioca.

Essa briga por poder na diretoria do Fla já interferiu no departamento de futebol anteriormente. O grupo de BAP foi responsável por trabalhos na comunicação do clube e pela contratação de Abel Braga, um pouco antes de Rodolfo Landim ser eleito presidente.

Publicidade

Depois de resultados insatisfatórios no comando da equipe do Flamengo, Abel Braga foi mandado embora, contrariando a escolha de BAP. A equipe de Marcos Braz, incluindo Pelaipe, entrou em ação trazendo o treinador português para o Rubro-Negro; e, com da chegada de Jesus, o ano de 2019 foi de glória com duas conquistas importantes.

Publicidade

A Nação não aprovou a saída de Pelaipe e diversos torcedores pediram a saída do dirigente BAP nas redes sociais. Alguns flamenguistas foram além, fizeram pressão para o desligamento do cartola através pichações em um dos muros da sede do clube em protesto à descisão tomada.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Caetano

José Caetano está sempre ligado para compartilhar as últimas novidades dos famosos, esportes e atualidades.